Sem categoria

Bom Dia Brasil, da Globo, dá detalhes do “esquema de corrupção” da “organização criminosa” de Flávio Bolsonaro

Bom dia Brasil dá detalhes da investigação contra Flávio Bolsonaro (Montagem)

Em extensa reportagem, jornal apresentado por Chico Pinheiro e Ana Paula Araújo classifica Flávio Bolsonaro como “líder da organização criminosa” e mostra a relação do filho de Bolsonaro com “grupos de milicianos”

Em reportagem de quase 10 minutos de duração, o Bom Dia Brasil, da TV Globo, revela que teve acesso ao inquérito sigiloso do Ministério Público do Rio de Janeiro e detalha todo o “esquema de corrupção” comandado pelo senador Flávio Bolsonaro (ex-PSL-RJ), o “líder da organização criminosa.

“A TV Globo teve acesso ao pedido de medida cautelar de busca e apreensão e quebras dos sigilos fiscal, bancário e telefônico de 33 pessoas físicas e jurídicas, todos assessores do senador Flávio Bolsonaro quando ele era deputado estadual no Rio de Janeiro. No documento, o Ministério Público detalha o suposto esquema de corrupção”, disse logo no início o apresentador Chico Pinheiro, dando o nome real ao que a mídia insiste em chamar de “rachadinha”, minimizando o termo corrupção.

A primeira parte da reportagem, feita pela jornalista Marina Amaral, revela a estrutura da organização criminosa, que segundo o MP-RJ tem seis núcleos, sendo o primeiro deles liderado pelo ex-PM Fabrício Queiroz e sua família.

O segundo grupo seria integrado pelo ex-policial do Bope, Adriano Magalhães, “acusado de integrar o grupo de milicianos conhecido como ‘escritório do crime’. O terceiro é composto pelos parentes de Bolsonaro.

Mostrando recortes do inquérito, a reportagem diz que “os elementos de provas dos autos permitem vislumbram a existência de uma organização criminosa com alto grau de permanência e estabilidade, formada desde o ano de 2007 por dezenas de servidores da Alerj”, sendo Flávio o “líder da organização criminosa”.

Milícia
Na segunda parte da reportagem, o Bom Dia Brasil destaca a relação de Flávio Bolsonaro com os milicianos, destacando conversas Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega com o ex-marido, Adriano. As conversas comprovam que Danielle sabia da origem ilegal do dinheiro e que era funcionária fantasma, empregada no gabinete de Flávio por indicação do miliciano.

Em uma reprodução de conversa de Whatsapp, a reportagem revela a preocupação de Queiroz com a ex-mulher do miliciano devido à proximidade das eleições de 2018. “Estão fazendo um pente fino nos funcionários e família deles”, diz o ex-assessor de Flávio sobre a exoneração de pessoas que atuavam como funcionários fantasmas nos gabinetes do clã Bolsonaro.

A reportagem afirma ainda que Flávio e a esposa, Fernanda Antunes Figueira usaram o “sócio” Alexandre Santini como “laranja” na loja de chocolates finos Kopenhagen para lavar dinheiro do esquema de corrupção.

Assista à reportagem do Bom Dia Brasil na íntegra.

Fonte – Revista Forum