Justiça Politica

MP denuncia Aécio Neves por peculato, corrupção e lavagem de dinheiro

AÉCIO NEVES (PSDB), DEPUTADO FEDERAL. FOTO: JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO

Investigação aponta irregularidades nas obras da Cidade Administrativa; outras 15 pessoas foram denunciadas

Carta Capital

O Ministério Público de Minas Gerais denunciou, nesta sexta-feira 18, o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) e outras 15 pessoas pelos crimes de peculato, corrupção e lavagem de dinheiro na construção da Cidade Administrativa, sede do governo estadual.

De acordo com o MP, os crimes foram cometidos entre 2007 e 2010, quando Aécio ocupava o cargo de governador de Minas Gerais, e vieram à tona a partir de delação premiada no âmbito da operação Lava Jato. Três executivos, de duas das nove empresas envolvidas nas obras, confirmaram os crimes.

Os investigadores afirmam que, a convite de Aécio Neves, “nove empresas de engenharia se reuniram e entraram em conluio para fraudar a licitação e repartir ilicitamente os contratos para a execução das obras da Cidade Administrativa. Os valores contratados, em razão da absoluta inexistência de competição na licitação, foram superiores aos valores orçados e superiores aos valores de mercado. Além do sobrepreço do valor do contrato e da fraude à licitação, a porcentagem de 3% dos valores pagos às empresas contratadas foi entregue ao então governador, por meio do diretor da CODEMIG, como propina”.

Ainda conforme o MP, “a propina foi paga por meio de contratos fictícios e, ainda, por valores em dinheiro entregues a terceiros, em evidente conduta de ocultação e lavagem de dinheiro”.

A apuração conduzida pela Polícia Federal indica também que os prejuízos aos cofres de Minas Gerais superam os 50 milhões de reais.