Politica

Ministro da Justiça de Bolsonaro ameaça Ruy Castro e Noblat com penas de até quatro anos

André Mendonça - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

André Mendonça foi às redes sociais para dizer que vai pedir abertura de inquérito policial contra os jornalistas, alegando que ambos instigaram o suicídio do presidente

Por Lucas Vasques

André Mendonça, ministro da Justiça, usou as redes sociais para informar que vai solicitar abertura de inquérito policial contra os jornalistas Ruy Castro e Ricardo Noblat. A alegação é instigação ao suicídio.

O ministro ameaçou os colunistas da Folha de S.Paulo e da Veja, respectivamente, com penas de prisão de até quatro anos.

Mendonça tuitou: “Alguns jornalistas chegaram ao fundo do poço. Hoje 2 deles instigaram dois Presidentes da República a suicidar-se. Apenas pessoas insensíveis com a dor das famílias de pessoas que tiraram a própria vida podem fazer isso”.

“Apenas pessoas irresponsáveis cometem esse crime contra chefes de Estado de duas grandes nações. Fazê-lo é um desrespeito à pessoa humana, à nação e ao povo de ambos os países”, acrescentou o ministro.

“Por isso, requisitarei a abertura de Inquérito Policial para apurar ambas as condutas. As penas de até 2 anos de prisão poderão ser duplicadas (§ 3º e 4º do art. 122 do Código Penal), sem prejuízo da incidência de outros crimes”, concluiu.

Origem

Tudo começou quando Castro, em sua coluna deste domingo (10), escreveu um texto cujo título é: “Saída para Trump: matar-se”. No artigo, ele sugere que a única maneira de o presidente dos EUA entrar para a história como herói é se matando.

“Se Trump optar pelo suicídio, Bolsonaro deveria imitá-lo”, escreveu o jornalista.

Noblat foi ao Twitter e republicou trechos do artigo de Ruy Castro. A revista Veja, que hospeda a coluna de Noblat, condenou a atitude do jornalista.

Publicidade