Geral

GDF escuta demandas de jovens de Ceilândia

Cerca de 60 jovens participaram, na manhã deste sábado (23), do encontro Jovem Escuta Jovem, no Centro de Ceilândia. Mediado pelo secretário de Juventude, Léo Bijos, o evento ocorreu na praça ao lado da Feira Central da cidade. O objetivo era levar o Governo do Distrito Federal para ouvir a população e dar os encaminhamentos possíveis.

Educação, capacitação profissional e inserção no mercado de trabalho. Essas foram algumas das principais reivindicações dos participantes. “Não é possível construir políticas para um determinado público sem saber o que ele quer, o que ele precisa de fato”, cravou o representante do GDF.

“Foi um momento fundamental para estreitar os laços com os usuários da política. Trocar informações e construir juntos um caminho onde Estado e Juventude propiciem ações conjuntas tanto para o governo quanto para tornar esse público cada dia mais independente e auto-sustentável. Mostrar que o poder público pode ajudar o jovem a ser emancipado, ao invés de sempre propor políticas de assistencialismo”, completa Léo Bijos.

Uma das participantes, a moradora de Ceilândia e líder juvenil Samara Santos, destacou a necessidade do acompanhamento psicológico de jovens. De acordo com ela, a adolescência é uma fase muito complicada, na qual a pessoa está sujeita a mudanças internas, dificuldades e frustrações, e, por esse motivo, precisa de acompanhamento do Estado.

Nesse caso, disse Léo, a ideia é justamente o que ocorreu nesta manhã: colocar jovem para escutar jovem. “Muitas vezes, não adianta colocar quem tem uma linguagem muito diferente da dele. Às vezes, a receita é interagir com iguais, trocar ideias e conhecimento. Estamos pensando nisso desde a transição e vamos chegar à melhor receita para estar ao lado dos jovens em todos os momentos”, destacou.

Aos 29 anos, o chefe da pasta é o secretário mais jovem convocado pelo governador Ibaneis Rocha para seu time. É justamente essa característica que pretende explorar para se aproximar da juventude do Distrito Federal. Ele pretende trabalhar três pilares em seu planejamento de gestão: proteção, capacidade de emancipação e acesso à inovação. “O objetivo é formar jovens cada vez mais ágeis e inseridos nas novas tecnologias”, explica.

Preocupação
Estudos recentes da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) mostram que mais de 50% dos jovens entre 18 a 24 anos não estuda e nem trabalha. O percentual ultrapassa 85% na faixa entre 25 a 29 anos. Esse grupo é conhecido com Nem-Nem (nem trabalha e nem estuda). O secretário promete empenho para mudar esse panorama.

Um terço da população do DF é formada pela faixa etária dos 15 aos 29 anos e, de acordo com ele, o governo teve mais de R$ 100 milhões em recursos para serem investidos na área, segundo orçamento para 2018. O chefe da pasta observa ainda que somente 1/3 do Fundo da Criança e do Adolescente foi executado no ano passado em políticas para esse público.

Fonte: Agência Brasília