Torre Palace: Após sete meses da operação que retirou invasores, governo ainda não encontrou herdeiros

Ninguém consegue encontrar os herdeiros do antigo hotel Torre Palace, no centro de Brasília, sete meses após a megaoperação que retirou invasores das dependências do prédio abandonado. A ação, comandada pela Secretaria de Segurança Pública e Paz Social, custou mais de R$ 802 mil, valor que deveria ser arcado pelos proprietários do edifício, mas nem a Justiça consegue contatar essas pessoas. Integrantes do Movimento Resistência Popular, que reagiram à retomada, aguardam julgamento presos.

O processo para a desocupação e demolição foi iniciado em março de 2016, cinco meses após a invasão, e as operações realizadas em junho, após decisão liminar da 8ª Vara de Fazenda Pública. Durante todo esse tempo, esclareceu a Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF), o paradeiro dos proprietários não foi identificado, sendo impossível intimá- los para a ação.

A mais recente tentativa envolveu o envio de uma solicitação ao Poder Judiciário em Anápolis (GO) para que tente citar os administradores do prédio em um endereço da cidade. Segundo o órgão, apenas após a citação é que eles serão ouvidos e começará a fase de discussão judicial sobre a possível demolição do prédio, além da cobrança dos valores gastos pelo GDF na operação.

Na ponta do lápis, os órgãos de segurança pública gastaram R$ 802.941,58 com a desocupação. Segundo o governo, as despesas incluem equipamentos, material e pessoal nos serviços prestados pela Secretaria da Segurança, Defesa Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Departamento de Trânsito (Detran).

Originalmente por: Jornal de Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *