Temer sofre com grande reprovação e aumento da popularidade de Dilma.

Na onda do pessimismo pós-golpe, Temer colhe os frutos da guinada à direita da sua gestão e assiste a Dilma avançar na comunicação pela internet

13%. Essa é a aprovação do presidente interino Michel Temer. Novidade? Não. Dilma Rousseff antes de sofrer o golpe chegou a míseros 10%. Mas, a nova gestão vem influenciando esse placar gradualmente e a popularidade dela sobe à medida que a de Temer desce. O aumento da popularidade de Dilma após o golpe foi de 15 pontos, saindo de 18% para 33%, segundo o Ibope em pesquisa realizada entre os dias 14 e 18 de maio.

Após a data, não foram realizadas mais apurações sobre a popularidade da presidenta. Por que será?

“Se aproximar das redes sociais, onde a narrativa contra e a favor do golpe se constrói, ter a ciência de que foi ali que se construíram os maiores movimentos golpistas e onde os símbolos e signos foram construídos para a derrubada dela, e ocupar esse espaço é extremamente importante”, diz Rafael Caliari, jornalista da CUT Rio.

O que sacramentou essa vitória na opinião pública é, sem dúvida, a mudança na postura da presidenta, que passou a se comunicar diretamente para o público sem as amarras institucionais.
“Não ter uma preocupação com a postura de um chefe de estado, não precisar ter toda aquela dureza de falar enquanto Brasil, possibilita falar enquanto a pessoa Dilma, ser mais humana, e isso gera obviamente uma relação muito próxima com o receptor dessa mensagem”, avalia Rafael.

No último dia 30, a presidenta lançou uma campanha de financiamento coletivo para viajar pelo país, pois o interino, Michel Temer, bloqueou todos os gastos dela. Estipulou a meta de 500 mil reais, valor alto para os padrões do site. No entanto, foi arrecadado em menos de dois dias, com a contribuição de cerca de 2.500 pessoas. Passados cinco dias, são 611 mil reais e mais de sete mil doadores, batendo todos os recordes do Catarse, portal em que a “vaquinha” foi realizada.

Sabe para que é a grana? Para ela viajar pelo país em sua “jornada pela democracia”, divulgando os estratagemas do golpe sofrido e como retornará ao poder e reconduzirá o país à retomada do estado de direito e da democracia.

“Quando você se comunica direto na internet, como veículo primário, tem uma resposta muito rápida se as pessoas estão gostando ou não, como estão te enxergando. Essa é a grande diferença da comunicação do governo golpista com a comunicação do governo Dilma, porque o governo golpista se mantem no pedestal, conversando de cima para baixo, em rádio e TV, onde no máximo você tem como medição panelas”, aponta o jornalista.

Publicado originalmente por Mídia Ninja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *