TEMER DIZ QUE DINHEIRO DA OAS FOI DOAÇÃO PARTIDÁRIA

 O vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, participa do Congresso da Fundação Ulysses Guimarães e do PMDB, em Brasília (José Cruz/Agência Brasil)
O vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, participa do Congresso da Fundação Ulysses Guimarães e do PMDB, em Brasília (José Cruz/Agência Brasil)

O vice-presidente Michel Temer admite ter recebido, em 2014, R$ 5,2 milhões da empreiteira OAS; mas, segundo ele, o dinheiro foi repassado na forma de doações ao PMDB; o pagamento é mencionado em mensagens trocadas por telefone entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o empreiteiro Leo Pinheiro, mas se fala em pagamento feito de uma só vez; “De fato, a empresa lá fez a doação ao PMDB, em parcelas, até. Nós temos a comprovação das entradas e a comprovação da prestação de contas. Está comprovadíssimo, eu não tenho a menor preocupação com isso”, disse

O vice-presidente Michel Temer admite ter recebido, em 2014, R$ 5,2 milhões da empreiteira OAS. Mas, segundo ele, o dinheiro foi repassado na forma de doações ao PMDB. O pagamento é mencionado em mensagens trocadas por telefone entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o empreiteiro Leo Pinheiro. Nas mensagens, há referência a pagamento de uma só vez do dinheiro.

“De fato, a empresa lá fez a doação ao PMDB, em parcelas, até. Nós temos a comprovação das entradas e a comprovação da prestação de contas. Então entrou de fato esse dinheiro. Mas fica parecendo que entrou no meu bolso. Que alguém pegou R$ 5 milhões, abriu o meu bolso e botou dentro do bolso. E não é isso. Se tivessem tido o cuidado de examinar as contas do PMDB, que está na internet, se veria que entrou esse dinheiro e que depois foi prestada a conta. Está comprovadíssimo, eu não tenho a menor preocupação com isso”, disse o vice em entrevista ao O Globo.

Ele diz ter “documento” para comprovar isso. “A única coisa que chateia é que sai uma coisa dessa natureza, as pessoas pensam: puxa, mas será que o Temer também? Porque afinal, graças a Deus eu tenho uma vida que me permite andar de cabeça erguida. Mas quando sai uma coisa dessas, fica um pouco a impressão de que houve algum malfeito. Ainda bem que eu não uso apenas argumento, eu uso documento. E tem documento a respeito disso”, afirmou.

Temer ressaltou que não antecipará a convenção do partido, marcada para março, como querem os defensores do impeachment da presidente Dilma Rousseff, com o objetivo de aprovar o rompimento com o governo. “As pessoas têm me pedido para antecipar a convenção, eu digo não”, avisou.

Compartilhe em suas redes sociaisShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *