Emprego Sociedade

Entregadores via aplicativo fazem paralisação

Um entregador trabalha no centro de Bogotá, nesta terça-feira. Na Colômbia, a pandemia elevou o trabalho informal para 24,5%, o maior nível desde 2001. No Brasil, trabalhadores fazem o 'dia do breque' nesta quarta.JUAN BARRETO / AFP

Entregadores via aplicativo fazem paralisação por melhores condições de trabalho nesta quarta, no que chamam de ‘dia do breque’. Brasil se aproxima de 60.000 mortes por coronavírus e conta 1.402.041 casos confirmados da covid-19. As últimas notícias da pandemia e da crise, ao vivo

São Paulo / Brasília

 

Trabalhadores que realizam entregas de encomendas feitas via aplicativos ―um setor que se destacou durante a pandemia do novo coronavírus― realizam nesta quarta-feira, 1 de julho, uma paralisação nacional para exigir maior remuneração por quilômetro rodado, além de melhores condições de trabalho e garantias mínimas de segurança. Um estudo realizado no Brasil mostra que a maioria dos entregadores via app recebem menos de dois salários mínimos, apesar de encarar jornadas de trabalho entre nove a 14 horas diárias, todos os dias da semana. No Brasil, o serviço de entregas tornou-se uma alternativa ao desemprego em meio à crise provocada pela covid-19, que até esta terça havia causado 59.594 mortes. O país tem 1.402.041 casos confirmados, 33.846 deles notificados nas últimas 24 horas, segundo os dados do Ministério da Saúde.