Servidoras da administração de Samambaia são presas por corrupção

As duas detidas foram pegas em flagrante ao exigirem a quantia de R$ 9 mil para liberarem a emissão de um alvará de construção

Duas servidoras da Administração de Samambaia foram presas em flagrante nesta segunda-feira (19/9) acusadas de corrupção passiva. Regina Lúcia Araújo Soares, de 44 anos, e Aline Fonseca Nascimento de Souza, 31, foram flagradas pela polícia exigindo o pagamento de R$ 9 mil a um empresário da cidade para liberarem um alvará de construção.

A denúncia havia sido feita na semana anterior, quando o presidente da Associação Comercial de Samambaia compareceu à sede da Comissão Permanente de Disciplina da administração. Ele contou ao órgão que um empresário havia requerido um alvará de construção para sua empresa, cujo lote é incentivado pelo Programa PRO-DF. Regina Lúcia teria então exigido a quantia para liberar a documentação.

A polícia então monitorou o encontro do empresário com as servidoras. Após a vítima entregar o envelope com dinheiro, as duas foram abordadas pelos agentes que anunciaram a prisão em flagrante. Elas foram levadas à 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) e devem responder por corrupção passiva, que prevê até 12 anos de prisão.

A administração de Samambaia informou que abriu o processo de exoneração das servidoras logo após a notificação da prisão. O desligamento deve ser publicado no Diário Oficial nos próximos dias.

Publicado originalmente por: Metrópoles

Compartilhe em suas redes sociaisShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *