Sem categoria

UBS do Cruzeiro melhora acesso a medicamentos

Desde junho, a farmácia da Unidade Básica de Saúde (UBS) 2 do Cruzeiro conta com um serviço que garante mais comodidade aos usuários. Trata-se do QR Code (código de barras digital), que permite o acesso a informações sobre o estoque de medicamentos, o horário de funcionamento e a localização da farmácia. O sistema possibilita a redução do tempo na fila de espera por atendimento na farmácia, a garantia do acesso ao medicamento pelos pacientes e a melhoria de condições do serviço prestado.

Como acessar

Os usuários possuem duas opões de acesso. Na primeira, basta aproximar a câmera do celular ou o aplicativo para a leitura do QR Code, disponível em um cartaz na própria UBS 2. O código abre automaticamente o link, que deve ser pressionado para dar acesso ao site da farmácia da unidade.

A segunda alternativa é acessar o navegador, no computador ou no celular. “Com esse acesso direto, os usuários já não precisam se deslocar até a farmácia da UBS 2 para consultar o estoque de medicamentos; basta ter internet em casa ou em qualquer outro lugar”, explica o gerente de Serviços de Atenção Primária 2 do Cruzeiro, Bruno Pereira.

Melhora no atendimento

“Além disso, os profissionais de saúde da UBS 2 podem acessar as informações, no momento do atendimento, para facilitar a escolha dos medicamentos a serem prescritos, considerando a disponibilidade do estoque, e melhorar a adesão do paciente ao tratamento”, pontua farmacêutica Samira Dearmas.

“A ideia surgiu quando percebi que muitos usuários compareciam desnecessariamente à unidade apenas para obter informações sobre a disponibilidade de medicamentos”, conta a estagiária de farmácia da Universidade de Brasília (UnB) Bruna Martins Goulart.

O abastecimento do sistema, feito tanto pela farmacêutica quanto por técnicos da farmácia, ocorre de acordo com a demanda do estoque. Quando há reposição ou caso a medicação esteja indisponível, esses profissionais atualizam as informações no sistema. “Desse modo, temos uma real noção do que está no estoque”, ressalta Bruno Pereira.

Com informações da Secretaria de Saúde (SES)