Novo sistema de marcação de consultas propõe encurtar espera por vaga

O sistema de marcação de consultas e exames na rede de saúde pública do Distrito Federal mudou. O novo modelo permite, a partir de agora, que procedimentos de baixa complexidade sejam solicitados nas unidades básicas de saúde (UBS). Antes, o paciente ia até o local onde o exame ou o médico estava disponível — inclusive em hospitais — e entrava na fila. Essa era uma das causas para superlotação e longas listas de espera, segundo a Secretaria de Saúde. Agora, o médico da UBS é quem solicita eventuais consultas ou exames no local onde eles podem ser realizados com mais rapidez.

O processo corre de maneira eletrônica, sem que o paciente receba guias ou precise apresentá-las para ser atendido. Em duas unidades básicas de Taguatinga visitadas pela reportagem do Jornal de Brasília, brasilienses demonstraram estar aliviados com a rapidez do novo arranjo. No entanto, reclamam que há poucos médicos disponíveis e, por isso, antigos problemas persistem. Em alguns casos, não há previsão de conseguir uma consulta.

Restrições temporárias

A Secretaria de Saúde informou que “o novo modelo de marcação de consultas funciona para todas as especialidades”, mas quando os casos são mais complexos ou há escassez de médicos, o procedimento válido é o antigo, via Complexo Regulador. Logo, o paciente precisa se deslocar até onde as especialidades estão disponíveis. É o caso de consultas oncológicas, dermatológicas, pediátricas e de hanseníase. Segundo a pasta, as restrições são “temporárias” e ocorrem por “falta de protocolos que estão em construção ou em consulta pública”.

A Saúde considera que o objetivo da mudança é reduzir filas e demora nos atendimentos. Há quem confirme a rapidez. É o caso da paciente do Centro de Saúde n° 6 de Taguatinga Severina Leite Pereira, 50. A vendedora foi ao local com a filha para tentar marcar uma consulta com um médico pediatra nessa quinta-feira. “Eu sempre precisava dormir na fila para conseguir. Esse sistema está bem melhor”, opina. A mulher relata que já chegou ao posto de madrugada. “Por volta de 1h e ficava até as 7h. E isso não era garantia de que ia conseguir”, lembra.

A filha dela, Letícia Rebeca Pereira, 10, precisa fazer uma audiometria. “Se ela não cuidar da audição, pode perdê-la. Estou preocupada”, explica a mãe da estudante. A marcação de consulta é eficiente, segundo a mulher. O problema mais grave é a falta de vagas. “Disseram para eu voltar aqui em cinco dias e tentar de novo”, conta.

A estudante Milena Luzo Câmara, 18, conseguiu marcar horário com um médico ginecologista no próximo dia 28. “Já fiquei até três horas na fila para conseguir. Agora, fui atendida em minutos. Melhorou bastante, porque agora vem gente só de Taguatinga para cá”, acredita.

Milena Luso Câmara buscou agendamento para 3 especialidades, ginecologia, nutricionista e dentista, mas só conseguiu atendimento para a primeira. /Foto: Myke Sena/Jornal de Brasília.

O operador de caixa Fabiano Henrique Alves, 39, voltou para casa sem respostas. A mãe dele, idosa, precisa se consultar com cardiologista e neurologista. “Disseram que não tem previsão e que vão me ligar se surgir vaga”, reclamou.

No balcão de atendimento da unidade, um funcionário informou à reportagem que a UBS marca consultas com médicos especializados em clínica geral, apenas. Os pacientes são encaminhados por ele a outras especialidades, se necessário. “O médico é quem faz pedido e joga no sistema. O paciente aguarda ser chamado”, disse o homem.

Saiba Mais

No Centro de Saúde n° 1 de Taguatinga, a situação é mais próxima da prometida pela pasta. No balcão, uma funcionária explicou que o posto agenda consultas e exames nas áreas de pediatria, clínica médica e ginecologia, porque há médicos disponíveis.

Postos de saúde como os visitados pela reportagem do JBr. funcionam entre 7h e 18h. Alguns têm horário ampliado e fecham às 19h em dias úteis — esses abrem inclusive aos sábados, das 7 horas ao meio-dia. O usuário pode ter mais informações no local ou no site http://www.saude.df.gov.br/unidades-basicas/.

Fonte: JBr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *