Saude

Clínicas credenciadas fazem 487 ressonâncias em 20 dias

Em 20 dias, as quatro clínicas particulares de imagem credenciadas pela Secretaria de Saúde (SES) efetuaram 487 exames de ressonância magnética. Esse número, referente a exames que começaram a ser feitos no fim de agosto, corresponde a uma média de quase 24 procedimentos por dia, segundo dados contabilizados até terça-feira (17) em um levantamento.

As ressonâncias foram feitas pelas clínicas Vilage (38), Organike (68), Brasília de Radiologia (190) e Centro de Imagens Gama (191). Recentemente, uma quinta empresa concluiu o processo de convênio com a SES, com capacidade para realizar até 300 exames por mês. “Já vamos oferecer a capacitação dos profissionais da empresa para que possam agendar com os pacientes em espera”, adianta o diretor do Complexo Regulador, Petrus Sanchez.

Outras dez clínicas se apresentaram para credenciamentos e aguardam a conclusão do processo para receber o treinamento e, na sequência, iniciar o agendamento dos pacientes. “Assim que todas as empresas fecharem os contratos de convênio e estiverem aptas a agendar, estimamos que mais de 5 mil exames sejam ofertados por mês”, anuncia o diretor.

Agendamentos

 De acordo com Sanchez, até o momento, 579 pedidos de exames foram agendados pelo Complexo Regulador para setembro. A prioridade é para os pacientes internados, os oncológicos e os que aguardavam há muito tempo na fila.

Todos os pedidos para o exame de ressonância feitos na rede pública de saúde são direcionados ao Complexo Regulador. Atualmente, há cerca de 23 mil solicitações pendentes, e o número tem aumentado depois que a população voltou a ter acesso aos exames. A demanda é calculada pela quantidade de solicitações, não por número de pessoas, já que um mesmo paciente pode ter diversas solicitações.

De acordo com a área técnica da SES, o cadastramento urgente para atendimento à população se tornou necessário depois que as três clínicas responsáveis pelas ressonâncias da rede pública interromperam o serviço devido a falhas nos equipamentos. Contudo, mais medidas estão sendo tomadas para melhorar a situação.

Melhorias

 Está em andamento um processo de aquisição de quatro aparelhos de ressonância magnética, a serem instalados nos hospitais regionais de Sobradinho (HRS), Santa Maria (HRSM) e Asa Norte (Hran), bem como no Centro Radiológico de Taguatinga (CRT).

Além disso, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), responsável pelo atendimento dos hospitais de Base, Santa Maria e pelas unidades de pronto atendimento (UPA), tem trabalhado na instalação de um aparelho próprio de ressonância magnética. Atualmente, nenhum está em funcionamento. Pela complexidade do equipamento, o tempo entre a compra e a instalação leva, em média, um ano.

Com informações da SES