saúde

Governo de São Paulo pedirá registro emergencial da CoronaVac à Anvisa nesta quinta-feira

O governador de São Paulo, João Doria, acompanhado do secretário estadual de Saúde Jean Gorinchteyn e do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, recebe lote com insumos da CoronaVac (Foto: Reprodução/Twitter/João Doria)

O governo do estado de São Paulo pedirá nesta quinta-feira (7) à Anvisa registro emergencial da CoronaVac, vacina contra o coronavírus produzida pelo laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan

Sputnik – Segundo reportagem do portal UOL, o anúncio do pedido de registro emergencial pelo governo de São Paulo à Anvisa será feito na entrevista coletiva sobre a reclassificação das cidades no plano de flexibilização do estado.

Após o pedido de uso emergencial, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária terá dez dias para autorizar ou vetar a aplicação da vacina.

Em 14 de dezembro, a Anvisa informou que a análise e a resposta para pedidos de registros emergenciais de imunizantes contra a covid-19 será feita em um prazo de até dez dias.

De acordo com uma fonte ouvida pela reportagem do portal, não haveria motivos e nem pressão política suficiente para o órgão barrar a aprovação da vacina. Além do uso emergencial, será pedido o registro definitivo do imunizante, análise que leva mais tempo.

Resultados adiados

O comitê de saúde estadual corre para liberar a documentação para uso da CoronaVac até 25 de janeiro, data fixada pelo governador de São Paulo, João Doria, para início da vacinação.

A apresentação dos resultados da fase três dos testes com o imunizante chinês já foi adiada por duas vezes. A expectativa é de que os dados sejam divulgados nesta semana.

A CoronaVac não teria alcançado 90% de eficácia, mas, segundo o governo estadual, atingiu patamar necessário para ser aplicada na população.

About the author

Joao Victor Martins

Add Comment

Click here to post a comment

Advertisement