Quase a metade das rodovias do DF está em más condições, diz CNT

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou nesta quarta-feira (4/11) os resultados da Pesquisa CNT de Rodovias 2016. Os dados mostram que quase metade das rodovias do Distrito Federal está em más condições devido a problemas gerais de pavimentação, sinalização e de traçado da via.

Do total de estradas analisadas na região, 6,8% estão em situação ruim e 38,4% em condição regular. Outras 37,2% foram classificadas como boas e 19,6% são ótimas. A pesquisa inclui rodovias federais e estaduais, e as geridas pelo poder público ou via concessões.

O levantamento, que está em sua 20ª edição, cobriu 103.259 km no país inteiro, incluindo os 65 mil km das rodovias federais e os principais trechos de estradas estaduais, que respondem por 37 mil km. Segundo a CNT, há um total de 1,720 milhão de km de vias no Brasil, sendo apenas 12,3% pavimentados.

No plano nacional, a confederação encontrou problemas em 58,2% das estradas analisadas. Houve uma piora no estado geral de conservação em relação ao ano passado, o que inclui condições de pavimento, sinalização e geometria da via. Em 2015, as rodovias nessa mesma situação respondiam por 57,3% do total. Na avaliação geral, 6,3% estão péssimas, 17,3% ruins e 34,6% regulares.

Houve um aumento de 26,6% no número de pontos críticos, que são trechos com buracos grandes, quedas de barreiras e pontes, e erosões. No ano passado, 327 focos de problemas foram registrados no país inteiro e, em 2016, 414.

O país deixa de investir anualmente cerca de 30% do orçamento aprovado para rodovias. Com isso, o custo operacional, pago pelos transportadores, aumenta

Bruno Batista, diretor executivo da CNT

Piores
O Distrito Federal tem uma das 10 piores entre as 109 rodovias brasileiras analisadas. O trecho liga Brasília à capital de Tocantins, Palmas. Outras duas rodovias do Centro-Oeste estão na lista.

As 10 melhores rodovias do país estão no estado de São Paulo e são administradas pela iniciativa privada. “Mas não é porque uma rodovia não é concessionada que não deveria ser boa”, disse Bruno Batista.

Postado por Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *