LGBT+ Politica

São Paulo elege primeira mulher trans negra como vereadora

CANDIDATA A VEREADORA EM SÃO PAULO, ERIKA HILTON. FOTO: REPRODUÇÃO.

A cidade também elegeu outros três LGBTs para o Legislativo Municipal

Carta Capital

A cidade de São Paulo elegeu, neste domingo 15, a primeira mulher trans negra para vereadora do município. Erika Hilton, do PSOL, levou mais de 50 mil votos e garantiu uma cadeira na Câmara dos Vereadores da capital paulista como a mulher mais votada na eleição de 2020.

“Ser a primeira vereadora trans em São Paulo significa uma ruptura e um grande passo para que a gente comece a romper as violências e o anonimato. Essa vitória significa um tapa na cara no sistema transfóbico e racista”, disse a vereadora eleita a CartaCapital.

Com 27 anos, Erika foi co-deputada no mandato coletivo da Bancada Ativista na Assembleia Legislativa de São Paulo. Neste ano, a parlamentar decidiu concorrer com uma chapa única.

Em sua campanha, Erika lançou o documento “Gente é Para Brilhar”, que reuniu nomes como Pabllo Vittar, Mel Lisboa, Zélia Duncan, Renata Sorrah, Liniker,  Linn da Quebrada, Jean Wyllys, Laerte Coutinho, Silvio Almeida e mais 150 personalidades brasileiras em apoio a sua candidatura.

A cidade de São Paulo também elegeu outros dois LGBTs como vereadores: o ator Thammy Miranda (PL) e o integrante do MBL Fernando Holiday (Patriota).

A candidatura coletiva Bancada Feminista foi eleita e conta com a presença de Carolina Iara, uma mulher travesti intersexo negra que agora será co-vereadora da capital.