Politica

Governo Bolsonaro bate recorde e paga milhões em propaganda para reverter imagem no mundo

Reprodução/YouTube

Atual governo já gastou 17 vezes mais com propaganda internacional do que seus antecessores; estratégia é mudar imagem do “atual Brasil” no exterior

Por Marcelo Hailer

Em dois anos de gestão, o governo Bolsonaro já gastou 17 vezes mais com propaganda no exterior do que todos os governos anteriores da última década.

De acordo com levantamento feito pelo portal UOL, o governo Bolsonaro gastou R$ 27,7 milhões em 2020 e R$ 11,7 milhões, em 2019.

O governo afirma que tal investimento em propaganda internacional é para “contrapor percepções equivocadas e descontextualizadas que, por vezes, surgem no cenário internacional”.

Dessa maneira, quando comparado com as gestões federais anteriores, os gatos de 2019 e 2020 ficam, respectivamente, 5,331% e 12,812% acima da média anual de gastos em propaganda internacional de 2009 até 2018.

Os governos Lula (PT), Dilma (PT) e Michel Temer (MDB) gastaram, no total, R$ 2,14 milhões com propaganda no exterior.

Esse gasto com propaganda internacional vai na contramão da diminuição de toda a verba publicitária da Secom, que viu suas despesas caírem de R$ 255,6 milhões em 2018 (valores nominais) para R$ 128,15 milhões em 2020.

Posterior ao governo Bolsonaro, os maiores valores, corrigidos pela inflação, foram registrados em 2009 na gestão do ex-presidente Lula, que pagou R$ 1 milhão para veicular nos EUA campanha sobre a Conferência Internacional sobre Biocombustíveis e o Seminário Invest in Brazil – New York.

Por sua vez, a gestão de Michel Temer gastou R$ 882.400 por uma ação de mídia em redes sociais e por campanhas de divulgação da carne brasileira no mercado internacional, pois, à época a operação Carne Fraca desgastou a imagem do produto brasileiro no mercado internacional.

A maior parte do gasto da presidência da República com propaganda no exterior foi destinada à compra de espaço na internet (R$ 12,1 milhões”, mídia internacional digital (R$ 11,3 milhões).

Teve também anúncio nos canais Bloomberg, CNN, BBC e o transmissão internacional da TV Record nos EUA e na Europa.

Brazil by Brasil

A Secretaria de Comunicação (Secom) do governo Federal informou ao UOL que a campanha “Brazil by Brasil foi veiculado em países estratégicos tais como “EUA, Alemanha, França, Inglaterra, Noruega e Suécia”.

Brazil by Brasil foi uma ação publicitária de 2019, mas, de acordo com a Secom, o processamento dos pagamentos extrapolou para o orçamento de 2020.

De acordo com a Secom, a campanha teve por objetivo apresentar o “novo Brasil, moderno e produtivo” e que “preserva 60% de sua vegetação original”.

Por exemplo, uma das ações foi veiculada em um outdoor que ficava de frente para a saída de uma das estações mais movimentadas de Nova York, a um quarteirão do Empire State.

Propaganda do governo vira Motivo de piada

Como marca registrada desse governo, alguma dessas ações cometeram erros de ortografia e viraram motivo de piada no exterior.

Em uma ação veiculada no site do jornal “Financial Times”, a palavra “soberano” foi escrita “sovereing”, quando o correto é “Sovereign”.

Outro erro ortográfico se deu em uma das campanhas das redes sociais: a palavra “sustentável” foi escrita como “susteinable”, quando o correto é “sustainable”.

Com informações do UOL.

Advertisement