Politica

Diretor da PF exonera delegada que investigava interferência de Bolsonaro

Delegada Christiane Correa Machado (Foto: Alex Ferreira - Câmara dos Deputados)

O diretor-geral da PF, Rolando Alexandre de Souza, demitiu a delegada Christiane Correa Machado. Ela estava à frente do inquérito que apura a suspeita de interferência de Jair Bolsonaro na PF

247 – O diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, demitiu a delegada Christiane Correa Machado da função de chefe do Serviço de Inquéritos da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (SINQ), responsável por investigar autoridades com foro especial.

Christiane Machado estava à frente do inquérito que apura a suspeita de interferência de Jair Bolsonaro na PF. Ela foi quem encaminhou ao então ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello ofício para ouvir Bolsonaro presencialmente. Com a aposentadoria de Mello, o processo foi redistribuído a Alexandre de Moraes. Bolsonaro ainda não depôs.

Em abril, Mello autorizou a abertura do inquérito para investigar eventuais tentativas de interferência na PF após o então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, apontar crime de responsabilidade de Bolsonaro. “O presidente me relatou que queria ter uma indicação pessoal dele para ter informações pessoais. E isso não é função da PF”, denunciou Moro.