Politica

Deputados distritais derrubam veto do governador e criam Praça Marielle Franco em Brasília

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Derrubamos o veto à Praça em data bastante simbólica, quando cobramos o desfecho dos assassinatos de Marielle e Anderson. Já são mil dias sem respostas e sem justiça”, disse Fábio Felix (PSOL), autor do projeto que batiza a praça com o nome da vereadora

Por Ivan Longo

Nesta terça-feira (8), dia em que o assassinato de Marielle Franco completa mil dias, ainda sem respostas sobre os mandantes do crime, a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) derrubou um veto do governador Ibaneis Rocha (MDB) a um projeto de lei que cria uma praça em homenagem à vereadora em Brasília.

Aprovado pela CLDF em 2019, o projeto foi vetado pelo emedebista sob o argumento de que o nome de Marielle não tem conexão com a história do Distrito Federal.

A derrubada do veto foi aprovada quase que por unanimidade: dos 17 deputados distritais presentes, apenas Delmasso (Republicanos) se absteve. O restante votou favoravelmente à criação da praça, que será no Setor Comercial Sul.

“Hoje conquistamos uma grande vitória para todos aqueles que militam em prol dos direitos humanos. Derrubamos o veto à praça em data bastante simbólica, quando cobramos o desfecho dos assassinatos de Marielle e Anderson. Já são mil dias sem respostas e sem justiça”, afirmou o deputado distrital Fábio Félix (PSOL), autor do projeto.

“A execução de Marielle é um grave atentado à democracia brasileira. Não podemos achar natural que uma parlamentar, legitimamente eleita, tenha sua vida interrompida por defender os direitos das minorias e das populações vulneráveis. Exigimos justiça para Marielle e ocuparemos essa praça com muita cultura e resistência para que a memória dela se mantenha viva”, completou o parlamentar.

Ao todo, há 150 logradouros ao redor do mundo que levam o nome de Marielle Franco.