Justiça Politica

Bolsonaro vê o cerco se fechando e adota postura menos beligerante

Bolsonaro adotou uma postura quieta diante do avanço das investigações envolvendo familiares, amigos, empresários e blogueiros que defendem o seu governo

Bolsonaro parece ter se aquietado ante investigações que podem comprometer seu governo – Na semana de São João e São Pedro, o capitão presidente parece ter se aquietado. Nada indica que seja por um acesso de bom senso democrático, mas, pode se pensar, por cautela. Acumulam-se nos tribunais superiores investigações que o envolvem, e a parlamentares e empresários próximos a ele, por financiamento irregular e ilegal, no inquérito das fake news, que ameaça, no TSE, a chapa Bolsonaro-Mourão, vencedora da eleição presidencial de 2018. Para piorar o cerco ao presidente, prossegue a investigação de parlamentares e empresários que pagaram os atos golpistas contra o Congresso Nacional e o STF. O cerco levou o “gabinete do ódio” a apagar 3.127 vídeos criminosos com fake news ou ameaças à democracia. Pode-se pensar também que Bolsonaro reage à forte queda de sua popularidade – uma pesquisa mostra pela primeira vez que mais da metade dos brasileiros (54%) tem péssima opinião sobre seu governo. Neste quadro, cresce a articulação da frente ampla de democratas e progressistas em defesa da democracia e contra o descalabro que o governo Bolsonaro representa.