Politica

Bolsonaro diz que isolamento social mata mais do que covid-19

Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro. 12/01/2021 (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Alvo de panelaços e em meio ao caos em Manaus, Jair Bolsonaro voltou a desafiar as recomendações médicas. “Esse lockdown, esse isolamento causa muito mais morte, por depressão, por suicídio, por falta de emprego lá na frente do que a própria pandemia em si”, disse ele

Sputnik – O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (15) que o isolamento social, recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para combater o coronavírus, matou mais brasileiros do que a COVID-19.

Em entrevista para o programa Pingo nos Is, da rádio Jovem Pan, o presidente afirmou ainda que “não ter por que ter esse trauma todo apenas preocupado com a COVID-19”.

“Esse lockdown, esse isolamento causa muito mais morte, por depressão, por suicídio, por falta de emprego lá na frente do que a própria pandemia em si. Eu não tenho aqui os dados, o número de mortes por tipo de doença. A COVID-19 tá mais lá embaixo. Então não tem por que ter esse trauma todo apenas preocupado com a COVID-19”, disse Bolsonaro.

O chefe de Estado também afirmou que cirurgias estão sendo adiadas por conta da pandemia e questionou o número de pessoas que morrem de câncer. “Os mais variados possíveis, porque não vão para o tratamento”, disse.

Além disso, Bolsonaro defendeu o retorno das aulas presenciais, argumentando que as crianças e jovens são mais resistentes ao coronavírus.

‘Temperatura subiu’

Sobre a situação de Manaus, onde o sistema de saúde entrou em colapso nos últimos dias, com pacientes de COVID-19 morrendo por falta de oxigênio, Bolsonaro disse que os “problemas começaram a aparecer” na semana passada, quando a “temperatura subiu” na cidade.

O presidente afirmou ainda que enviou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para Manaus, e que o governo está “fazendo o possível”, mas que foi surpreendido ao encontrar o sistema de saúde em uma “situação bastante complicada”.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil registra 208.246 mortes e 8.393.492 casos da COVID-19. O governo espera iniciar a vacinação da população na semana que vem. A expectativa é de que a Anvisa libere o uso emergencial das vacinas de Oxford e CoronaVac neste domingo (17).

Publicidade