Pelo 5º dia consecutivo, metrô não circula no DF nesta quarta-feira

Pelo quinto dia consecutivo, o metrô não vai circular nesta quarta-feira (22/11). A empresa conseguiu reunir 16 pilotos dos 31 que integram o quadro para trabalhar, mas não atingiu o número mínimo de segurança: 18. Além disso, dos 79 agentes de estação, 39 compareceram ao serviço.

A greve dos metroviários já dura 14 dias e continua mesmo após o desembargador Pedro Luís Vincentin Foltran, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 10ª Região, reiterar decisão liminar que determinou aos servidores manterem 90% da frota circulando nos horários de pico.

O despacho foi dado em pedido feito pelo Sindicato dos Metroviários (SindMetrô/DF), para que o percentual fosse reduzido a 30%. O juiz tem reunião agendada para esta manhã, em separado, com representantes da empresa e do sindicato. A expectativa é que após as audiências, os metroviários retornem ao trabalho ainda hoje.

O magistrado deve avaliar o relatório produzido por oficiais de justiça que fizeram diligências nos últimos dias sobre a notícia de que o sindicato não estaria cumprindo a decisão liminar de manter 90% dos trens circulando.

A Procuradoria-Geral do DF informou ao TRT o descumprimento da decisão por parte dos metroviários. O GDF também cobrou o pagamento, pelo sindicato da categoria, de multa fixada de R$ 100 mil por cada dia de paralisação. O valor devido pelos servidores já soma mais de R$ 1,3 milhão e, caso a categoria continue descumprindo a determinação judicial, ela poderá ser aumentada.

Greve
Os trabalhadores reivindicam recomposição salarial de acordo com a inflação e a nomeação de mais de 600 aprovados em concurso. O Governo do Distrito Federal havia se comprometido a atender os pleitos da categoria desde a última greve dos metroviários, em 2015. No entanto, isso não ocorreu. O Executivo local afirma que não tem recursos para conceder os pedidos.

A greve dos metroviários é também o centro de uma ação de dissídio coletivo movida pelo Metrô-DF na Justiça do Trabalho.

Faixas liberadas
Por conta da paralisação, as faixas exclusivas para ônibus na EPTG e na EPNB continuarão liberadas para carros até as 23h59 de quarta-feira (22/11). A medida tem o objetivo de amenizar os transtornos causados pela greve dos metroviários. O Departamento de Trânsito (Detran) adotou a mesma iniciativa para as vias W3 Sul e Norte e o Setor Policial Militar.

Além da liberação das vias exclusivas, o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) vai garantir a permanência do reforço da frota com mais 67 veículos das empresas São José, Urbi e Marechal. A autarquia informa ainda que tem monitorado o sistema de transporte público, e carros extras poderão ser alocados para atender as linhas mais demandadas.

Fonte: Metrópoles

Compartilhe em suas redes sociaisShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *