Zoológico de Brasília comemora 61 anos

Fundação Jardim Zoológico de Brasília comemora 61 anos nesta quinta-feira (6). Inaugurada três anos antes da capital federal para abrigar uma elefanta doada pelo embaixador da Índia, tornou-se, assim, a primeira instituição ambientalista criada no Distrito Federal.

Para festejar o aniversário, haverá programação especial no fim de semana.

No sábado (8) e no domingo (9), a partir das 8h30, os visitantes poderão participar de momentos lúdicos, como jogo da memória, quebra-cabeças, dominós e jogos de tabuleiro.

Essas atividades serão ao lado do borboletário.

“Trata-se da comemoração de uma data importante, marcada pela evolução técnica e maturidade institucional do Zoológico de Brasília, que a cada dia apresenta novos serviços sociais e ambientais e se consolida como uma ferramenta para conservação”, reforça o diretor-presidente do Zoo, Gerson Norberto.

A festividade também inclui leitura e contação de histórias, desenhos, pinturas e montagem de máscaras, entre outras. A interação com o público será feita com fantasias de animais do Cerrado.

“A cada dia (o zoológico) apresenta novos serviços sociais e ambientais e se consolida como uma ferramenta para conservação”Gerson Norberto, diretor-presidente do Zoológico de Brasília

Os tratadores dos bichos estarão à disposição para tirar dúvidas e contar curiosidades sobre o dia a dia no parque.

Às 10 horas, a conversa será no setor África, com equipe responsável pelos animais da savana; às 11 horas, com os cuidadores de felinos.

Por volta das 14 horas, haverá bate-papo com os tratadores de harpias e, às 15 horas, com os de jacaré. Cada rodada de diálogos durará 30 minutos.

Outra atração será uma exposição de fotos para mostrar a evolução nas seis décadas de existência, com imagens de animais e de momentos marcantes.

Veja a programação completa.

Foco do Zoológico é na conservação e na educação ambiental

A gestão da Fundação Jardim Zoológico de Brasília atua com foco na conservação e na educação ambiental. A instituição desenvolve projetos conservacionistas de pesquisa e reprodução de espécies, manejos cooperativos nacionais e internacionais, além de promover a sustentabilidade.

Um exemplo do trabalho desenvolvido no parque é o método do enriquecimento ambiental. Por meio dele, todos os bichos recebem, pelo menos duas vezes por mês, atividades que promovem o bem-estar e estimulam o comportamento natural.

A fundação também oferece visitas sensoriais guiadas para permitir contato mais próximo com os bichos a quem tem limitações, como idosos e pessoas com deficiência.

Também podem participar dependentes químicos, adolescentes em conflito com a lei, pacientes em tratamento médico-hospitalar e qualquer outro visitante que necessite de atendimento especial.

Em junho deste ano, chegaram à Fundação Jardim Zoológico de Brasília dois machos de sauim-de-coleira. Peculiar da Amazônia, eles pertencem a uma das espécies de primata mais ameaçadas de extinção.

Resgatados em Manaus ainda filhotes e sem condições de voltar à natureza, foram encaminhados primeiro ao centro de triagem do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Em seguida, para o programa de conservação da espécie, do qual a instituição de Brasília faz parte.

A fundação é responsável ainda por resgates, reabilitações de animais silvestres, enviados para soltura, e reintroduções feitas por outros órgãos ambientais.

O Zoológico de Brasília fica na L4 Sul (Avenida das Nações) e funciona das 8h30 às 17 horas. Os ingressos custam R$ 10 a inteira. Crianças de 6 a 12 anos, estudantes, pessoas com mais de 60 anos, professores e beneficiários de programas sociais do governo pagam meia-entrada. Quem tem menos de 5 anos ou algum tipo de deficiência é isento.

Fonte: Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *