Parcerias garantem atendimentos especializados a animais do Zoo

Zoguinha, uma macaca da espécie zogue-zogue de cerca de 11 anos, levou menos de 10 minutos para ter extraídos dois dentes infeccionados que lhe causavam feridas na boca. O procedimento foi feito por meio de parceria entre a Fundação Jardim Zoológico de Brasília e veterinários especializados em diversas áreas.

O odontologista da Universidade de São Paulo Roberto Fecchian, de 38 anos, cuidou de Zoguinha na segunda-feira (16). Ele já veio a Brasília três vezes apenas neste ano e cuidou de animais como Rabisco e Dande, dois tigres. O primeiro paciente que tratou, ele lembra, foi Dengo, um leão que morreu no ano passado, aos 16 anos de idade, um xodó da equipe.

O profissional trabalha há 12 anos com odontologia de animais selvagens. O único profissional credenciado para a função na América Latina e um dos 12 no mundo, Fecchian atua no zoo de forma voluntária desde 2015.

Em cada procedimento mais delicado, seja dentário ou de outra natureza, uma equipe multiprofissional é criada, com pessoas de várias partes do País. “O zoológico tem uma variedade imensa de animais e de patologias. Não daria para contratar todos os especialistas necessários”, explica o diretor do Hospital Veterinário do local, Rodrigo Rabello.

Ter gente cada vez mais capacitada dentro de uma determinada área de atuação faz com que o animal tenha mais qualidade de vida e um pós-operatório bem mais tranquilo, na visão de Rabello. No caso de Zoguinha, por exemplo, ela voltou para o recinto logo após a extração dos dentes, depois de tomar os analgésicos receitados por Fecchian.

“A medicina veterinária hoje passa por um processo de especialização, como o da medicina”, resume o odontologista. O processo ainda garante mais segurança para cada intervenção.

Os profissionais são convidados sempre que os funcionários do zoológico percebem a necessidade, respeitando a agenda deles. Casos clínicos mais simples são tratados pelo próprio quadro da fundação, que conta com três veterinários efetivos e dois residentes.

A expectativa da Fundação Jardim Zoológico de Brasília é que, em 2018, esse tipo de parceria seja regida por meio de contrato, depois de chamamento público.

Fonte: Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *