Educação Meio Ambiente

Alunos da rede pública recebem aulas de educação ambiental ao ar livre

Imagine estudar ao ar livre, ao redor de árvores, animais e com os sons da natureza ao fundo. Essa é a proposta do projeto Parque Educador, uma parceria entre Instituto Brasília Ambiental (Ibram), a Secretaria de Educação e a Secretaria de Meio Ambiente que leva alunos até os parques do Distrito Federal para aprender, na prática, sobre educação ambiental.

As atividades são desenvolvidas nos parques Águas Claras, Saburo Onoyama, Três Meninas, Águas Emendadas e Sucupira. O projeto foi implementado no segundo semestre de 2018, mas só neste ano foi assinado um termo de cooperação técnica ajustando o modelo e viabilizando recursos para o transporte dos estudantes. Entre as disciplinas aplicadas aos alunos, destacam-se educação patrimonial, biodiversidade do Cerrado, consumo consciente, resíduos sólidos, mudanças climáticas e alimentação saudável e sustentável.

A professora da Escola Classe 1 do Guará Marina Cardoso, 33 anos, conta que o retorno do projeto é visto no resultado das provas e na empolgação dos alunos durante as aulas. “Eles acham muito proveitoso, adoram sair da escola e da rotina deles”, diz. “Tudo que nós estamos vendo na teoria dentro da sala a gente vê na prática aqui no parque. Para a aprendizagem deles, é maravilhoso.”

As atividades especiais são realizadas às terças, quartas e quintas-feiras, nos dois turnos, sempre no horário contrário ao da aula (se o ensino for integral). O público prioritário é de alunos do quarto ao sétimo ano do ensino fundamental. As escolas que oferecem aulas acima do sétimo ano, porém, também podem se inscrever e participar. Neste ano, o projeto Parque Educador atendeu mais de 1,2 mil estudantes que passaram o seu dia no parque uma vez por semana.

“Eu acho muito bom. Eu posso sair da sala e aqui é mais fresco. Nós aprendemos sobre a natureza as nascentes e os tipos de animais”, conta a aluna Sara Lívia Silva Dantas, nove anos, que está no quarto ano do ensino fundamental. “Na sala de aula não tem como tocarmos na planta, é só visualizar. Aqui nós podemos usar os outros sentidos, por exemplo, o tato e o olfato”.

Projeto promove atividades diversas, como biodiversidade do Cerrado, consumo consciente, mudanças climáticas e alimentação saudável e sustentável / Foto: Renato Araújo / Agência Brasília

Inscrições

Em 1º de julho será aberta a inscrição das escolas para o próximo semestre. A novidade é que, no próximo semestre o atendimento será ampliado para mais dois parques ecológico, o Dom Bosco e o Riacho Fundo. As vagas são limitadas. As escolas que se inscreveram anteriormente e não foram contempladas devem tentar novamente, pois a prioridade será dada a elas.

Atividades são realizadas às terças, quartas e quintas-feiras nos dois turnos, sempre no horário contrário ao da aula. Foto: Renato Araújo / Agência Brasília

De acordo com o gerente de Educação Ambiental em Unidades de Conservação do Ibram, Luis Felipe Blanco, no fim do ano será aberta a seleção de novos professores, com a ampliação do projeto Parque Educador. Os educadores da rede pública que têm o desejo de trabalhar com essa temática também poderão se candidatar e fazer parte do projeto.

Fonte: Agência Brasília

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário