Licitação do DF para o serviço de transporte público já fez torrar R$ 1,5 bi

O deputado Bispo Renato Andrade (PR), presidente da CPI dos Transportes finalizada no começo do ano, não se surpreendeu com a decisão da 1ª Vara da Fazenda Pública de invalidar a licitação que renovou a frota de ônibus no DF.

“Só quem acha que não há problema nesse processo ainda é o governo, mas esperamos que dessa vez ele atenda à Justiça”, critica, lembrando que, da primeira vez, a Secretaria de Mobilidade entrou com recurso para manter o contrato em vigor. O deputado defende a anulação do contrato e a criação de uma nova concorrência.

O Governo de Brasília afirmou não ter sido intimado da decisão judicial e, portanto, não sabe se contestará a decisão. Durante a CPI, a pasta de Mobilidade admitiu ter encontrado irregularidades na execução dos contratos e reconheceu ser possível reduzir em até 20% os custos, mas afirmou não ter como refazer a licitação devido aos valores necessários para tal. A Secretaria de Mobilidade informou que o custo atualizado para cumprimento da licitação é de R$ 6 bilhões e que R$ 1,5 bilhão já foram gastos.

Para o Bispo Renato, tivesse o Buriti se organizado para preparar uma nova concorrência à época da primeira anulação da licitação, em janeiro, a essa altura já teríamos um processo de renovação em andamento. “Queremos é que não haja vício nos trâmites dessa licitação”, frisou o deputado.

Por Jornal de Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *