Geral

Festa Litúrgica de Corpus Christi festeja 60 anos da Arquidiocese de Brasília

Pelo menos 20 mil pessoas, em média, foram à Esplanada dos Ministérios, no feriado desta quinta-feira (20), para celebrar a Festa Litúrgica de Corpus Christi. A Santa Missa foi celebrada pelo cardeal-arcebispo de Brasília, dom Sérgio da Rocha – que no último sábado, ordenou nove novos sacerdotes – e concelebrada por bispos auxiliares, sacerdotes, diáconos, religiosos e seminaristas. O tema desta edição foi o Ano Jubilar vivido na Arquidiocese de Brasília: “O amor de Cristo nos impele”.

Na homilia, dom Sérgio falou sobre o testemunho da fé na presença de Jesus no Santíssimo Sacramento; da unidade da Igreja Católica e sua importância na vida dos brasileiros; da partilha e das ações comunitárias, entre outros temas. “É preciso viver e dar testemunho público da nossa fé. Não ter medo de evangelizar”, pediu aos fiéis. A meta deste Ano Jubilar, segundo ele, é “ser um ano missionário”.

Fiéis

Entre os presentes, estavam o vice-governador Paco Britto, acompanhado da esposa Ana Paula Hoff; a primeira-dama Mayara Noronha; e representantes do Governo do Distrito Federal – como o secretário José Humberto e o secretário adjunto de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gustavo Álvares.

O vice-governador Paco Britto e esposa e a primeira-dama Mayara Noronha: programação diferenciada

Os presentes à solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo se surpreenderam com a programação diferenciada deste ano – como a iluminação especial destinada à procissão, realizada no final da celebração, e também os 60 anos da fundação da Arquidiocese de Brasília.

 

O percurso da procissão foi em torno do primeiro quadrilátero da Esplanada, em frente à Catedral Metropolitana. Na ocasião, foram concedidas três bênçãos: a primeira para os enfermos, a segunda para os governantes e a terceira para as famílias.

O GDF apoiou a festa por meio de ações do Detran; das polícias Militar e Civil; do Corpo de Bombeiros; da Caesb; da SLU.

“Festa linda”

Na multidão que lotou a Esplanada, estava a católica Kátia Ribeiro, com sua família e o cão “Gabriel”. Como é recém-chegada a Brasília, foi a primeira vez que acompanhou a festa de Corpus Christi. “Achei lindo!”, disse, encantada.

 

Foto: Vinícius de Melo/Agência Brasília

Já o aposentado Francisco Alves de Souza, 63 anos, assiste à solenidade todo ano. “Sou católico e é uma festa bonita. Eu gosto”, opinou, enquanto segurava uma banqueta usada por sua esposa de 70 anos durante o evento. Ele chegou às 16h30, e nem viu o tempo passar, após mais de duas horas de missa.

Ao final da celebração, um dos atrativos que chamou à atenção dos fiéis foi o cortejo com o Corpo de Cristo no tradicional tapete confeccionado por cerca de 600 jovens de Pastorais e Movimentos da Arquidiocese, que trabalham com a juventude.

Os tapetes são obras de arte basicamente confeccionadas de areia lavada, areia saibrosa, sal, serragem, palha de arroz, borra de café, entre outros materiais. Os desenhos caracterizados são símbolos religiosos utilizados na celebração da Santa Missa, como o cálice, patena, ostensório, âmbula, hóstias etc. Neste ano, os tapetes foram confeccionados em homenagem ao jubileu dos 60 anos da Arquidiocese.

História

A festa de Corpus Christi é a celebração em que solenemente comemora-se o Santíssimo Sacramento da Eucaristia. A festa surgiu no século XIII, na Diocese de Liége, na Bélgica, por iniciativa da freira Juliana de Mont Cornillon, que teve visões nas quais o próprio Jesus pedia uma festa anual em honra do Sacramento da Eucaristia. Em 1247, realizou-se a primeira procissão eucarística pelas ruas de Liége, como festa Diocesana, tornando-se depois uma festa litúrgica celebrada em toda a Bélgica. Em 11 de agosto de 1264, o Papa Urbano IV decretou, pela Bula Transiturus, a instituição da festa de Corpus Christi, mas a celebração só ganhou caráter universal no séc. XIV, quando o Papa Clemente V confirmou a Bula de Urbano IV, tornando a festa da Eucaristia um dever canônico mundial. A partir da oficialização, a Festa de Corpus Christi passou a ser celebrada todos os anos na primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade.

Capital

Em Brasília, desde 1961, celebra-se a Festa de Corpus Christi. No começo, uma pequena procissão saía da igreja Santo Antônio, na 911 Sul, e seguia até a igrejinha Nossa Senhora de Fátima, nas 307/308 Sul, reunindo um público cada vez maior a cada ano. A partir de 1978, a solenidade passou a ser realizada na Esplanada dos Ministérios e reúne todos os anos milhares de fiéis.

E são os fiéis que ajudam no custeio de toda infraestrutura, além de doações de empresas do DF. No local da festa, havia tendas de saúde, água potável, banheiros químicos, entre outros.


Os protagonistas

Ministros: 439

Padres: 200

Seminaristas: 120

Procissão: 250 jovens se revezaram com 120 tochas

Fonte: Agência Brasília

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário