Distritais retomam sessão para escolher comando da Câmara Legislativa

A edição desta terça-feira (1º/1) do Diário da Câmara Legislativa, divulgou a formação do bloco Para Unir o DF, com 17 deputados. Com isso, o grupo conseguirá formar maioria para a maioria dos cargos da Casa. Nesta tarde, os distritais se reúnem para definir a formatação da próxima Mesa Diretora.

Com a formação da maioria, o chamado blocão deve conquistar os principais cargos disponíveis. O grupo apoia a candidatura de Rafael Prudente para a Presidência. No entanto, após a posse desta manhã, a sessão foi retomada com um pedido de ordem do deputado Chico Vigilante (PT). Ele trouxe entendimentos jurídicos afirmando que blocos com seis membros tem direito a um lugar na Mesa Direta.

O grupo menor apoia Cláudio Abrantes (PDT). No entanto, com a baixa adesão à sua candidatura, o pedetista tenta negociar algum espaço para o grupo na Casa. Se conseguir um acordo, pode abrir mão da disputa. Os dois candidatos têm a simpatia do novo governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), mas Prudente ganhou a dianteira da preferência dos colegas.

Além do comando da Câmara, os distritais trabalham para comandar comissões temáticas estratégicas, como a de Constituição e Justiça (CCJ) e a de Economia, Orçamento e Finanças (Ceof). Pelas regras da tramitação, as duas são as mais importantes da Casa, chamadas de terminativas – pelas quais os projetos necessariamente precisam passar antes de serem avaliados no plenário.

Os demais colegiados, embora tenham atuação apenas no mérito das propostas, atraem atenção pelas áreas de atuação e visibilidade política. É o caso da Comissão de Assuntos Fundiários (CAF), uma das mais atraentes, pois coordena as discussões de mudanças na planos de ordenamento territorial, por exemplo. Vigilante questiona, no entanto, a data da escolha as comissões. Ele explica que após a posse, a eleição deve ocorrer em 1º de fevereiro.

Delmasso rebateu o petista. Segundo ele, a Justiça já disse que cada Casa Legislativa deve ditar seu ritmo. A afirmativa teria ocorrido após um questionamento do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM).

Fazem parte do blocão: Martins Machado (PRB), Delegado Fernando Fernandes (PROS), Rafael Prudente (MDB), Delmasso (PRB), Robério Negreiros (PSD), Agaciel Maia (PR), José Gomes (PSB), Jorge Viana (PODE), Iolando (PSC), Eduardo Pedrosa (PTC), João Cardoso (AVANTE), Roosevelt Vilela (PSB), Hermeto (PHS), Valdelino Barcelos (PP), Daniel Donizet (PRP), Reginaldo Sardinha (AVANTE) e Jaqueline Silva {PTB).

Fonte: Metropoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *