GDF ainda não sabe quando vai ocupar Centro Administrativo e continua a pagar aluguel

Inaugurado em 2014, o Centro Administrativo do Distrito Federal continua sem uso | Foto: Sheyla Leal/ObritoNews/Fato Online 
Inaugurado em 2014, o Centro Administrativo do Distrito Federal continua sem uso | Foto: Sheyla Leal/ObritoNews/Fato Online

 

Apenas em 2015, segundo a Seplag (Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão), o GDF gastou cerca de R$ 62 milhões com aluguéis de prédios ocupados por órgãos do Executivo.
Suzano Almeida

Prometido para ser ocupado pelo próprio governador Rodrigo Rollemberg (PSB) em entrevista ao Fato Online em julho de 2014, até o fim do ano passado, o CADF (Centro Administrativo do Distrito Federal), localizado entre Taguatinga, Ceilândia e Samambaia, continua vazio e o governo pagando aluguel em prédios e salas para abrigar secretarias, autarquias e empresas públicas. Enquanto isso, o consórcio responsável pela construção do complexo aguarda decisão da atual gestão para saber qual será o destino do imóvel.

Apenas em 2015, segundo a Seplag (Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão), o GDF gastou cerca de R$ 62 milhões com aluguéis de prédios ocupados por órgãos do Executivo. Caso estivesse ocupando o complexo administrativo a mensalidade seria de R$ 17 milhões mês, entretanto, conforme o acordo de PPP (Parceria Público-Privada), ao final do contrato de 22 anos, toda a estrutura seria entregue em definitivo ao Governo de Brasília.

 

Outro ponto importante é que toda a estrutura de manutenção será de responsabilidade do consórcio, enquanto o contrato com o governo vigorar. Atualmente, o governo paga para empresas terceirizadas que realizam a manutenção dos prédios.

Ocupação
Em nota, o governo do Distrito Federal afirma que a expectativa é transferir toda a parte administrativa do governo para o CADF, com exceção da Secretaria de Agricultura e parte da segurança pública. A mudança deverá começar pela governadoria, SEPLAG, Casa Civil e Militar. A nota, porém, não fixa uma data para a mudança.

Inauguração
A estrutura do CADF chegou a ser inaugurada pelo ex-governador Agnelo Queiroz (PT) em seu último ato à frente do Executivo local, no dia 31 de dezembro de 2014, em uma atitude que levantou suspeitas, já que a documentação para liberar o uso do complexo ficou pronta do dia para a noite.
O GDF promete usar o CADF, mas não anuncia a data
Sheyla Leal/ObritoNews/Fato Online

Entretanto, sob a alegação de falta de recursos para ocupar o complexo de 16 edifícios, a atual gestão do GDF preferiu não começar a fazer uso da estrutura. O governador Rollemberg usou ainda como argumento para não ocupar as novas instalações a falta de infraestrutura como, as instalações para internet, telefonia, além do mobiliário. Além, é claro, recursos financeiros para arcar com o “aluguel”.

Mobiliário
Na ocasião, chegou a ser sugerida a utilização do mobiliário já existente nos órgãos que compõe o Executivo, mas a sugestão não foi aceita e a mudança foi adiada. Também foi levantada a hipótese da ampliação do contrato de PPP para que o consórcio fosse o responsável pela aquisição do mobiliário e consequentemente pela manutenção do mesmo. Os valores seriam repartidos nas parcelas, ao longo dos 22 anos do contrato entre o consórcio e o governo.

Sobre o assunto, o GDF informou que está fazendo “vários estudos” para a aquisição de mobiliário para iniciar a ocupação, mas não definiu prazo. De acordo com a Seplag, ainda faltam resolver questões como a rede de comunicação, parte da rede elétrica e o posicionamento do sistema de ar-condicionado.

A Seplag diz ainda que questões judiciais estão sendo resolvidas, por exemplo, problemas com o Habite-se expedido no apagar das luzes pelo governo Agnelo Queiroz.

Negociação
Sobre o atual estágio, em reposta ao Fato Online, o consórcio responsável pela construção do Centro Administrativo do Distrito Federal respondeu em nota, que está negociando com o GDF para definir alguns pontos pendentes, inclusive os pagamentos das dívidas adquiridas por conta da entrega do complexo, que já está com 96,5% da sua estrutura concluída, faltando apenas detalhes que devem ser definidos em conjunto com o governo.

Histórico
O CADF foi construído em formato de PPP (Parceria Púbico-Privada) constituída ainda no governo de José Roberto Arruda (PR), em 2008. O objetivo era que toda a estrutura de governo fosse levada para lá e que a mudança mudasse o fluxo de servidores na área central de Brasília.

No início do ano passado, o GDF foi informado pelo consórcio que já havia uma dívida de R$ 19 milhões deixada pela gestão de Agnelo, por conta da entrega da primeira etapa do CADF, em junho de 2014. A partir de janeiro de 2015 uma nova dívida também foi contraída, pois, ainda no dia 31 de dezembro de 2014, o petista inaugurou o complexo, o que gerou a nova pendência mensal de R$ 17 milhões.

O governo atual questionou a velocidade com que o Habite-se – documento necessário para a liberação do funcionamento do complexo – foi expedido. A questão foi levada à Justiça pelo MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal e Territórios), que conseguiu a suspenção da documentação e consequentemente o pagamento das taxas.
O CADF é formado por dezesseis edifíciosSheyla Leal/ObritoNews/Fato Online

Compartilhe em suas redes sociaisShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *