Estudantes do Gama apresentam trabalhos sobre equidade de gênero

O governador Rodrigo Rollemberg e sua esposa, Márcia, participaram, na manhã deste sábado (11), da 9ª Feira Cultural do Centro de Ensino Fundamental 15 (CEF 15), no Gama, que teve como tema o projeto Mulheres Inspiradoras – A Vez e a Voz da Mulher Contemporânea.

A iniciativa ensina noções básicas de direitos femininos nas escolas públicas do Distrito Federal abordando temas como empoderamento feminino, machismo nas escolas, equidade de gênero, representação feminina na mídia, combate à violência contra a mulher, diversidade e direitos humanos.

“Quando eu conheci esse projeto [Mulheres Inspiradoras], em um evento no Palácio do Buriti, disse a [idealizadora] Gina Vieira Ponte de Albuquerque que a iniciativa deveria ser multiplicada para outras escolas. Vivemos um momento delicado da cidade, do País e da humanidade”, lembrou o governador Rodrigo Rollemberg. “Precisamos difundir valores positivos. E quando vemos uma ação que reconhece a trajetória vitoriosa de mulheres, devemos mostrá-la.”

Segundo o chefe do Executivo, vivemos em uma realidade em que mulheres que fazem os mesmos trabalhos dos homens recebem salário menor. E que muitas famílias ainda acreditam serem as tarefas domésticas de responsabilidade exclusiva das mulheres, assim como a educação dos filhos.

“A luta por um mundo generoso, que respeite as mulheres, não é, portanto, uma luta apenas das mulheres. É de todos que querem um mundo melhor. E esta escola é exemplo disso”, reconheceu Rollemberg. O CEF 15 foi reconhecido em primeiro lugar no DF do Prêmio de Gestão Escolar, do Conselho de Secretários Estaduais de Educação.

Homenagem à colaboradora do governo Márcia Rollemberg

Durante o evento, Márcia Rollemberg foi homenageada pelos trabalhos sociais desenvolvidos. “Aqui nasceu meu filho Ícaro, aqui comecei a trabalhar. Tenho amor profundo pelo Gama, faz parte da minha formação. Estou muito honrada e agradecida por estar aqui. Vejo aqui a convergência de várias energias positivas e que fazem a diferença na cidade”, agradeceu.

Márcia também lembrou do Portal do Voluntariado. “O momento que vivemos hoje é de inspiração. Hoje temos feito essa participação da sociedade, pelo Portal do Voluntariado. Temos 12 mil pessoas que ajudam em mais de 200 projetos. A cidade é uma criação coletiva, pertence ao Estado, à sociedade organizada e às famílias.” Ela citou ainda que, semana que vem, o Portal do Voluntariado receberá o reconhecimento da Rede de Empreendedorismo Internacional de Mulheres.

“Seus trabalhos sociais têm feito a diferença. Nós, mulheres, nos sentimos mais humanizadas com suas iniciativas”, disse Ana Elen Ferreira, diretora do CEF 15, sobre a colaboradora do governo.

Outras oito mulheres que também se destacam como exemplos de inspiração foram agraciadas com troféus:

  • Maria Antônia, administradora regional do Gama
  • Ana Elen Ferreira, diretora do CEF 15
  • Gina Vieira, idealizadora do projeto Mulheres Inspiradoras
  • Nicole Oliveira, professora do CEF 15
  • Cida Belisário, escritora
  • Cláudia Vieira Ramos, vice-diretora do CEF 15
  • Adriana Torres, contadora
  • Célia Maria Teixeira Neves, esposa do secretário de Educação, Júlio Gregório Filho

Depois das homenagens, o governador foi conhecer os trabalhos produzidos pelos alunos e professores. A programação da feira, que faz parte do Criança Candanga, contou com apresentações musicais, exposições de fotografias, pinturas e grafites, teatro, palestras educativas e chá literário.

Como surgiu o Mulheres Inspiradoras

Professora da rede pública há mais de 26 anos, Gina Vieira Ponte de Albuquerque estava desmotivada por perceber a dificuldade de interação entre docentes e alunos. Pensando em desistir da profissão, constatou que o modelo educacional aplicado a jovens deveria ser atualizado para despertar o interesse desse público.

“O Mulheres Inspiradoras começou quando eu percebi que os alunos davam as costas para a escola, e a escola para os alunos. Decidi ser professora para ser agente de mudança”, afirmou a docente.

Decidida a mudar esse cenário, em 2014, optou por trabalhar na parte de diversidade de projetos do Centro de Ensino Fundamental 12 de Ceilândia. Com o apoio da coordenadora pedagógica da unidade, Vitória Régia, conseguiu estreitar o diálogo com os estudantes e alinhá-lo a práticas pedagógicas com a criação de uma rede social.

Depois disso, incentivou leitura de obras de mulheres de grande representatividade e incumbiu os alunos de entrevistar e produzir matéria com uma mulher de seu vínculo social que julgassem ser uma inspiração.

O resultado foi a produção de 95 textos, escritos em 2014 e 2015, reunidos em um livro, com título homônimo. As duas professoras organizaram a obra e a lançaram em 2016, no Dia Internacional da Mulher (8 de março).

Desde então, o projeto passou por duas edições, ambas no Centro de Ensino Fundamental 12 de Ceilândia, com a participação de 480 alunos. Agora, com a multiplicação, a estimativa é que chegue a cerca de 2 mil estudantes.

O Mulheres Inspiradoras recebeu várias premiações, entre as quais o 4º Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos da Presidência da República (2014); o 8º Prêmio Professoras do Brasil, do Ministério da Educação (2014); e o 1º Prêmio Ibero-Americano de Educação em Direitos Humanos da Organização dos Estados Ibero-americanos (2015).

Fonte: Agência Brasília

Compartilhe em suas redes sociaisShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *