Karatecas de Sobradinho vão disputar mundial no Japão

Esqueça o kimono e as luvas: a briga deles, agora, é contra a falta de recursos. Dois jovens karatecas estão lutando também fora dos tatames para conseguirem participar do Campeonato Mundial Universitário, que acontecerá entre 19 e 22 de julho no Japão. Faltando poucos dias para a disputa, Gabriel Hardy, 18, e Ana Paula Ilorca, 20, buscam dinheiro para se sustentarem por uma semana do outro lado do mundo.

Os jovens são atletas da Associação Hardy de Karatê, um pequeno centro de convivência em Sobradinho, que oferece aulas gratuitas não apenas de karatê, mas de capoeira e música. Cerca de 100 crianças são atendidas por professores voluntários. O coordenador do local, Heitor Hardy, 49, conta que abriu o espaço para ajudar a comunidade. “Aqui tem atleta que o pai é preso ou a mãe é usuária de drogas. Então a gente faz isso para tirar o menino da rua”, explica.

O projeto começou em uma igreja de Sobradinho, chegou a funcionar no fundo da casa de Heitor e há três anos está no subsolo de uma oficina. “A gente se mantém aqui por meio de rifa, de ajuda de amigos…  às vezes umas campanhas nos semáforos do Parque da Cidade”, lembra o coordenador.

Trabalho duro

Apesar das dificuldades, a iniciativa consegue excelentes resultados nas competições que disputa. Dos classificados para o Mundial, por exemplo, Gabriel Hardy, filho de Heitor, ganhou campeonato na Índia e o Pan-Americano deste ano que aconteceu em Joinville (SC). Já Ana Paula faz parte da Seleção Brasileira e venceu, em abril, a Liga do Desporto Universitário ocorrida em Goiânia (GO).

Os dois karatecas são universitários e conciliam a vida de atleta e de estudante. “Eu tenho umas aulas à noite e, como o treino é neste horário, às vezes não dá para vir treinar”, conta Ana, que faz Ciências Contábeis. Gabriel, por sua vez, faz Ciências Naturais e diz que, por enquanto, os horários não batem e consegue levar bem as duas responsabilidades.

Equipe de atletas de Karatê de Brasilia vai disputar mundial no Japão. Treinador Felipe Hardy. Atletas Gabriel Hardy e Ana Paula ilorte. Foto: Kléber Lima/Jornal de Brasilia.

Treino

Todos os bons resultados não vieram sem suor. O técnico deles, Filipe Hardy, 27, já tem trajetória longa no esporte apesar da pouca idade. Desde os três anos ele treina karatê e aos 19 passou a ser professor da modalidade. “Foi algo que fez muito bem para mim. Me fez amadurecer bastante e me trouxe um senso de responsabilidade que eu ainda não tinha”, define.

Quando perguntado sobre os dois mentorados que se classificaram para o mundial, ele não poupa elogios. “Os dois treinam bastante, são bem focados. Eles sabem o que querem, sabem onde querem chegar e estão em busca desse caminho.”

Problemas

Apesar das excelentes performances em campeonatos, o recurso da associação não é suficiente para bancar uma viagem para três pessoas até o Japão. Segundo Heitor, as passagens mais baratas que eles acharam eram de R$20 mil. Com isso, buscaram ajuda do programa do GDF Compete Brasília, para custear a viagem.

Equipe de atletas de Karatê de Brasilia vai disputar mundial no Japão. Treinador Felipe Hardy. Atletas Gabriel Hardy e Ana Paula ilorte. Foto: Kléber Lima/Jornal de Brasilia.

O grande problema agora é a despesa com a estadia. Algum dinheiro já foi arrecadado para que treinador e os dois atletas consigam se sustentar por um semana em Kobe, no Japão, mas ainda não é suficiente. Filipe Hardy, por exemplo, ofereceu um curso de luta para arrecadar mais fundos.

Para contribuição e informações:

Banco: Caixa Econômica Federal
Agência: 1041
Conta-corrente: 21698-9

Banco: Banco do Brasil
Agência: 1226-2
Conta-corrente: 117945-4

Telefone Heitor Hardy: 9 8560-9776

Fonte: JBr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *