Escola Classe Aspalha recepciona integrante da Embaixada da Bélgica

Com um alto coro de “Seja bem-vindo à nossa escola”, alunos do quarto e do quinto ano da Escola Classe Aspalha, da área rural do Lago Norte, receberam o ministro-conselheiro da Embaixada da Bélgica, Hendrik Jan Roggen, na manhã desta terça-feira (12). Em seguida, ouviram os hinos da Bélgica, do Brasil e de Brasília.

Os estudantes fizeram uma apresentação de danças brasileiras, com ciranda (de Pernambuco), fandango (típica da Região Sul), forró e funk. Em alusão aos festejos juninos, um grupo dançou quadrilha.

A visita foi uma retribuição à ida da escola à representação diplomática em 24 de maio, e as atividades fazem parte do programa Embaixadas de Portas Abertas.

No encontro de maio, Anny Gouveia Duarte, de 10 anos, foi escolhida embaixadora interina. Hoje, a menina agradeceu em nome dos colegas e da escola a oportunidade de participar do projeto. “Foi muito legal e divertido descobrir coisas novas.” Questionada sobre o que mais gostou, não hesitou: “do chocolate belga”.

Para Roggen, conhecer onde as crianças estudam foi ainda mais especial que recebê-las na embaixada. “Vocês são o futuro do país! Cada um pode ajudar o Brasil a crescer ainda mais”, disse.

O ministro-conselheiro finalizou agradecendo nos três idiomas oficiais da Bélgica (holandês, francês e alemão) e em português.

As atividades fazem parte do Criança Candanga, conjunto de políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência em Brasília

A colaboradora do governo e criadora do programa, Márcia Rollemberg, reforçou que o Embaixadas de Portas Abertas visa estreitar laços de Brasília com representações diplomáticas e tem como objetivo levar conhecimento às crianças.

“Defendo que o compromisso do governo e das pessoas seja com as crianças, os adolescentes e os jovens. Tanto temos que ter um carinho com vocês como temos que proteger e dar oportunidade”, frisou.

A Escola Classe Aspalha está envolvida em projetos sustentáveis e tem o objetivo de dar uma educação não só acadêmica, mas humana. Tudo isso foi apresentado ao representante diplomático durante a acolhida na instituição.

Troca de presentes e lance com comidas típicas juninas

O colégio recebeu uma placa de escola parceira do Embaixadas de Portas Abertas, e a embaixada, um certificado.

Além disso, as crianças deram de presente para Roggen um livro produzido por elas com desenhos sobre o país estrangeiro e com depoimentos sobre a experiência no projeto. Em contrapartida, a embaixada deu duas publicações infantis para a biblioteca da escola.

Ao fim, foram servidas comidas típicas de festa junina, como maçã e uva do amor, bolo de mandioca e canjica.

O programa Embaixadas de Portas Abertas

O Embaixadas de Portas Abertas começou, como piloto, em 2015 e foi instituído oficialmente em 9 de agosto de 2017.

A iniciativa é uma parceria da Assessoria Internacional com a Secretaria de Educação e a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) — que leva os alunos às embaixadas.

As representações diplomáticas interessadas em participar podem enviar e-mail para assessoria.internacional@buriti.df.gov.br.

As atividades fazem parte do programa Criança Candanga, conjunto de políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência em Brasília.

Fonte: Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *