Embaixador da Guiana visita escola no Itapoã

Em retribuição à visita de estudantes à Embaixada da Guiana, o representante diplomático do país no Brasil, George Wilfred Talbot, e a embaixatriz, Grace Angela Talbot, conheceram o Centro de Ensino Fundamental Doutora Zilda Arns, no Itapoã. O encontro é parte das atividades previstas pelo Embaixadas de Portas Abertas e ocorreu nesta terça-feira (10).

Embaixador e comitiva foram recebidos com salva de palmas. Em seguida, ouviram os hinos nacionais da Guiana e do Brasil e o Hino à Brasília. Além disso, o coral de idosos do Itapoã e os alunos do Projeto Quilombo apresentaram a música infantil Alecrim Dourado.

A troca de experiências foi celebrada por Talbot. “É um prazer falar com vocês e conhecer a escola. Vocês são excelentes alunos. É um prazer para a Embaixada de Guiana ter a oportunidade de intercambiar [experiências] com vocês.”

Para a estudante do sétimo ano Cassiane George de Souza, de 13 anos, as atividades da manhã reforçaram o sentimento de respeito pela Guiana. “É um ato de gentileza eles virem à escola, porque muitas pessoas no lugar deles não fariam isso”, disse. Por meio do Embaixadas de Portas Abertas, a adolescente conheceu o críquete, esporte muito popular naquele país. “Gostei muito de jogar o críquete”, contou.

A aproximação de realidades tão diferentes tem função também pedagógica, de acordo com a colaboradora do governo de Brasília Márcia Rollemberg, idealizadora do programa. “É fazer das embaixadas um espaço de educação”, resumiu, durante o evento de hoje.

O programa Embaixadas de Portas Abertas

O Embaixadas de Portas Abertas começou, como piloto, em 2015 e foi instituído oficialmente em 9 de agosto de 2017.

A iniciativa é uma parceria da Assessoria Internacional com a Secretaria de Educação e a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) — que leva os alunos às embaixadas.

As representações diplomáticas estrangeiras interessadas em participar podem enviar e-mail para assessoria.internacional@buriti.df.gov.br.

As atividades fazem parte do programa Criança Candanga, conjunto de políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência em Brasília.

Fonte: Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *