Em domingo (19) de provas importantes, metrô deve ficar fechado

Quem pretende usar o metrô neste domingo (19/11) precisa rever os planos. Mesmo com a realização de provas importantes como os exames Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), os trens devem permanecer parados, assim como ficaram neste sábado (18).

Segundo a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF), o motivo é a greve dos servidores da categoria, deflagrada no último dia 9. A empresa afirma que o Sindicato dos Metroviários do DF (Sindmetro-DF) não tem fornecido o número de trabalhadores suficiente para que o sistema opere com segurança.

Desde que o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10) deferiu liminar determinando a disponibilização de 90% dos servidores durante a paralisação, o Metrô-DF enviou carta à categoria pedindo o envio da lista de trabalhadores escalados. O documento deveria ser entregue até as 14h do dia anterior ao funcionamento. No entanto, de acordo com a empresa, isso não tem acontecido.

Por conta da falta de funcionários, os trens ficaram parados neste sábado (18). Segundo o Metrô-DF, dos 19 pilotos que deveriam trabalhar ao longo do dia, apenas quatro apareceram.

A empresa afirma ainda que não pode rodar com menos de 75% do efetivo, por questões de segurança, e que não consegue mais deslocar servidores em cargo de chefia para a operação dos trens.

O Sindmetro-DF, por sua vez, tem se mantido firme. Em nota divulgada nas redes sociais, a entidade lamenta a situação e afirma que “o transtorno está sendo causado pela falta de condições de trabalho, pela falta de diálogo da empresa e pela má gestão dos gestores públicos”.

Os trabalhadores reivindicam recomposição salarial de acordo com a inflação e a nomeação de mais de 600 aprovados em concurso. O Governo do Distrito Federal já havia se comprometido a atender os pleitos da categoria desde a última greve dos metroviários, em 2015. No entanto, isso não ocorreu. O Executivo local afirma que não tem recursos para conceder os pedidos.

A greve dos metroviários é também o centro de uma ação de dissídio coletivo movida pelo Metrô-DF na Justiça do Trabalho. Na última semana, o Sindmetro-DF pediu a reconsideração da liminar que determina a disponibilização de 90% dos servidores durante a paralisação. O metrô apresentou réplica e o caso será analisado pelo desembargador Pedro Luís Vicentin Foltran, do TRT-10.

Provas
No último domingo (12/11), o metrô funcionou normalmente por conta da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O mesmo não deve ocorrer para as duas provas marcadas para este domingo.

O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) serve para dar documentos de conclusão de ensino médio e fundamental a alunos que não se formaram no tempo devido. Em todo o Brasil, mais de 1,5 milhão de pessoas vão fazer a prova, das 8h às 13h e das 14h30 às 20h30.

Já a primeira etapa do exame de ordem da OAB será realizada das 13h às 18h. O teste é obrigatório para que os bacharéis em direito possam atuar como advogados.

Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *