Ideb: DF não atinge meta em sete de nove avaliações na educação básica

O Distrito Federal ficou com notas abaixo da meta esperada para 2017 em sete de nove avaliações do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado nesta segunda-feira (3/9), pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O Ideb foi criado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer parâmetros para a melhoria do ensino.

O índice é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – para as unidades da Federação e para o país, e a Prova Brasil – para os municípios.

O Ideb é produzido a cada dois anos para os anos iniciais, finais do ensino fundamental e também para o médio.

O pior desempenho do DF foi do ensino médio da rede pública, com índice de 3,4, enquanto a meta era de 4,4. A nota foi inferior a 2015, que teve Ideb 3,5, e abaixo da média nacional, também de 3,5.

Nem na rede privada, que tradicionalmente se destaca, o desempenho atingiu o esperado: o índice ficou em 6,0, quando o objetivo era chegar a 6,9. No cômputo geral, a nota ficou em 4,1, para uma meta de 4,9 (veja tabela abaixo).

Reprodução/Inep

REPRODUÇÃO/INEP

No anos finais do ensino fundamental, o desempenho das escolas públicas e particulares também ficaram aquém do esperado. Quando analisadas apenas os estabelecimentos administrados pelo governo, o ideb ficou em 4,9, para meta de 5,3. Os colégios privados também não se saíram bem nas avaliações: índice de 6,5 bem abaixo do projetado: 7,1.

Neste caso, o desempenho global ficou em 4,9, para meta de 5,3 (veja quadro abaixo).

Reprodução/Inep

REPRODUÇÃO/INEP

Apenas nos anos iniciais do ensino fundamental o DF evitou um vexame maior. Atingiu rigorosamente a meta em duas avaliações (total e pública), ficando abaixo nas escolas privadas, o que voltou a surpreender, em função dos altos valores cobrados em mensalidades.

No côputo total (veja tabela abaixo), ficou com ideb 6,3, na meta estipulada. Na rede pública, ficou com índice 6,0, também no valor estipulado. Já nos estabelecimentos privados, a nota chegou a 7,4, quando o esperado era 7,5.

 

Reprodução/Inep

REPRODUÇÃO/INEP

Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *