Economia

China suspende importação de carne do frigorífico Minerva

China detecta novamente vestígios de coronavírus em alimentos brasileiros; presidente chinês, Xi Jinping, e Jair Bolsonaro (Foto: ABr | reuters)

A China informou que suspendeu por uma semana a importação de carnes do frigorífico brasileiro Minerva. Maior parceiro comercial do Brasil, o país asiático, que já havia suspendido importação de outros frigoríficos, disse ter encontrado vestígios de coronavírus em embalagens de carne bovina da empresa

A China informou que suspendeu por uma semana a importação de carnes do frigorífico brasileiro Minerva, o terceiro maior produtor de carne bovina do País, atrás da JBS e da Marfrig. O país asiático disse ter encontrado vestígios de coronavírus em embalagens de carne bovina da empresa. O país asiático, segunda maior potência mundial, é o principal parceiro comercial do Brasil nos quesitos exportação e importação. No primeiro semestre de 2020 foram exportados mais de US$ 34 bilhões para os chineses, que, no mesmo período, importaram US$ 16,7 bilhões em produtos brasileiros. Os Estados Unidos são o segundo maior parceiro comercial do Brasil, com US$ 10 bilhões em exportação e US$ 13,2 bilhões em importação, até junho de 2020.

“Autoridades aduaneiras decidiram suspender, conforme dispõe a Portaria nº 103/2020, o recebimento da declaração de importação dos produtos de carne dessa empresa por uma semana a contar da mesma data (01/10/2020)”, informou a embaixada chinesa no Brasil. “No momento, o quadro epidêmico do mundo continua grave. Desde julho, o novo coronavírus já foi detectado em embalagens de diferentes lotes de alimentos congelados que a China importou”, diz a nota.

Em agosto, os chineses afirmaram que um frango importado do Brasil testou positivo para coronavírus. Foi retirada uma pequena amostra e testada em centros locais de controle de doenças. A detecção aconteceu na cidade de Shenzhen, no sul da China.

Em junho, eles suspenderam importações de três unidades processadoras de carne do Brasil para tentar conter um novo surto da pandemia. Em setembro, eles também suspenderam os pedidos de importação de frutos do mar da empresa Monteiro Indústria de Pescados Ltda, por uma semana, após um pacote de peixe congelado dar positivo para a Covid-19.

O corte de importações da carne bovina brasileira vem num contexto em que a economia já fechará 2020 em recessão, com queda de 5%, segundo estimativas oficiais. O Brasil tem, ainda, mais de 13 milhões de desempregados, um mercado consumidor tímido e afetado pelos cortes investimentos (PEC do Teto dos Gastos) e de direitos por parte do governo.

Seguindo um alinhamento com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que acusa a China de provocar a pandemia de forma proposital, membros do clã Bolsonaro também atacam o país asiático. Em março, por exemplo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) postou um vídeo do canal Terça Livre com o título “Comunismo chinês usou vírus para provocar crise mundial”.

A medida da china também faz um contraponto às declarações de Jair Bolsonaro, que já subestimou a pandemia em algumas ocasiões. Chegou a classificá-la como uma “gripezinha”, em março, e perguntou “e daí?” ao ser questionado sobre os cinco mil mortos pela doença, em abril.

Atualmente, os chineses ocupam o 47° lugar no ranking mundial de infecções por coronavírus (85,5 mil). O Brasil aparece na terceira posição, com 5 milhões, atrás dos Estados Unidos (7,8 milhões) e da Índia (6,9 milhões). A China tem 4,6 mil mortes por Covid-19 e o governo brasileiro contabiliza a segunda maior quantidade global de óbitos (149 mil), atrás apenas dos EUA (218 mil).

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário