Dilma oferece jantar a integrantes do PDT no Palácio da Alvorada

Filipe Matoso
Do G1, em Brasília
A presidente Dilma Rousseff ofereceu na noite desta terça-feira (1º) um jantar a integrantes do PDT no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência. Integrante da base aliada, o PDT é o ex-partido de Dilma e atualmente tem o comando do Ministério das Comunicações.
O encontro ocorre em meio à estratégia do Palácio do Planalto de buscar apoio das bancadas no Congresso Nacional às medidas econômicas que pretende implementar ainda neste ano.
Além do jantar com o PDT, Dilma já ofereceu almoço a integrantes do PTB e recebeu, no Palácio do Planalto, os líderes dos partidos que compõem a base aliada do governo tanto no Senado como na Câmara dos Deputados.

Por telefone, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que não há uma pauta pré-definida para o jantar desta terça. Segundo ele, contudo, o objetivo é buscar um “entrosamento maior” entre o partido e a presidente Dilma.
“É um jantar, uma conversa entre as liderança do PDT e a presidenta Dilma. Eu diria que é uma busca por um entrosamento maior, uma conversa nesse sentido. A gente quer ouvir o que a presidente tem a dizer, mas não tem uma pauta pré-definida. É uma conversa com a presidenta. Vamos ouvi-la”, disse Lupi.
Entre as propostas econômicas prioritárias para o governo neste ano, estão a reforma da Previdência Social e a recriação da CPMF como nova fonte de financiamento da Previdência. Nesses dois temas, contudo, o Planalto enfrenta resistência de parlamentares, incluindo os da base aliada.
Impeachment
No ano passado, após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acolher pedido de impeachment de Dilma, a presidente chamou ao Palácio da Alvorada o ex-ministro da Integração e ex-governador do Ceará Ciro Gomes. Filiado ao PDT, ele é cotado no partido para disputar a Presidência nas eleições de 2018. Na reunião, eles discutiram estratégias contra o impeachment.
Em janeiro deste ano, após participar do evento de aniversário do PDT em Brasília, Ciro disse a jornalistas, porém, que não gosta do governo da presidente Dilma Rousseff e tem “queixas graves” em relação aos rumos da atual gestão. Ele, entretanto, criticou a “escalada golpista” contra o governo, em referência ao processo de impeachment.
Redução da bancada
Recentemente, a bancada do PDT no Senado perdeu duas das seis cadeiras. Os senadores Cristovam Buarque e Antonio Reguffe, do Distrito Federal, anunciaram sua desfiliação da legenda por serem contra o apoio do partido ao governo da presidente Dilma Rousseff.
No primeiro escalão do governo, o PDT comanda o Ministério das Comunicações, cujo ministro é o deputado licenciado André Figueiredo.

Compartilhe em suas redes sociaisShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *