Cunha deixa legado de retrocessos na Câmara

No dia em que a Câmara dos Deputados finalmente deve cassar o mandato de Eduardo Cunha, fizemos um resgate dos projetos mais tenebrosos que passaram pela Casa enquanto ele era presidente.

  1. PL 5069/2013 – Estabelece normas que criam dificuldades no atendimento de vítimas de violência sexual

Propõe a criminalização de qualquer pessoa que auxiliar ou induzir a mulher ao aborto. Prevê que toda vítima de estupro seja encaminhada a uma delegacia antes de receber tratamento médico. E tem mais! Diz que só procedimentos não abortivos podem ser feitos por médicos, mesmo depois de violência sexual. Ah, a indicação de pílula do dia seguinte também seria crime. Essa aberração é de autoria do próprio Eduardo Cunha

 

  1. PEC 99/2011 – Poder irrestrito às igrejas

Basicamente, o projeto dá às igrejas o poder de contestar o STF. Hoje, somente algumas instituições tem tal poder: como o presidente da República, o PGR, as mesas da Câmara e do Senado… é o mistério da fé entender por que as igrejas entrariam na lista. A PEC é de autoria de João Campos (PSDB-GO)

 

  1. PL 7382/2010 – Criminalização da “heterofobia”

Outra pérola de autoria do senhor Eduardo Cunha, o projeto prevê a criação de uma lei que criminaliza a inexistente “heterofobia”, porque tem gente sofrendo preconceito e violência todos os dias por aí por ser heterossexual, não é? Lembremos que a PLC 122/2006, que criminalizava a homofobia, foi arquivada em 2014, após passar OITO ANOS transitando no Senado;

 

  1. PL 6583/2013 – Estatuto da Família

Adeus famílias de vovós e netinhos, tios e sobrinhos, casais gays e mães ou pais solteiros. O projeto diz que o conceito de família perante o Estado brasileiro é somente o “núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes”. A belezinha é de autoria do deputado Anderson Ferreira (PR-PE)

 

  1. PEC 215/2000 – Passa para o Congresso o poder da demarcação de terras indígenas

A medida, claro, é repudiada veementemente pelos grupos indígenas, que sabem que serão lesados pela enorme bancada ruralista. A PEC é de autoria do deputado Almir Sá (PL)

 

  1. PEC 171/1993 – Redução da Maioridade Penal

Porque todos sabemos que a solução para os problemas do Brasil é colocar menores junto com maiores em cadeias superlotadas, em condições desumanas, convivendo com a violência e o crime organizado diariamente. A lei prevê alterar a maioridade. Autoria de Benedito Domingos (PP-DF)

Postado originalmente em Brasil 247

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *