Cultura

Cultura italiana é tema da Orquestra Sinfônica em novembro

Em homenagem aos 150 anos de morte de Gioachino Rossini, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro apresenta ao público, em novembro, as principais peças do compositor italiano.

Concerto Italiano, no dia 13, contempla as introduções de óperas por ele compostas, as chamadas Aberturas de Rossini. São elas: SemiramideO Barbeiro de SevilhaL’Italiana in AlgeriGuilherme TellIl Signor BruschinoLa Scala di Seta La Cambiale di Matrimonio.

A capacidade técnica de improvisação e o conhecimento em teatro fizeram com que o artista tivesse intensa atuação no segmento.

Suas obras têm elementos trágicos e cômicos, típicos da ópera, e representam um momento de inovação e criatividade. Elas são expoente do período chamado Restauração Italiana, do fim do século 18.

O concerto homenageia a cultura do país mediterrâneo e mostra a influência de Rossini não só na música, mas também na gastronomia. Para ele teria sido criada a receita Filé Rossini, que leva foie gras (fígado de pato ou ganso) e trufas negras.

Outras apresentações da orquestra em novembro

Nesta terça-feira (6), a sinfônica abre a programação do mês com clássicos como Don Juan, do austríaco Johann Strauss, e Ma mère l’Oye, do francês Maurice Ravel. O grupo também recebe a pianista russa Kristina Miller, que executa o Concerto para Piano nº 3, de Sergei Rachmaninoff. A regência é do maestro da orquestra, Cláudio Cohen.

Em 20 de novembro, haverá outro pianista convidado: Szymon Nehring. O polonês será responsável pela execução de Concerto para piano nº 1, de Frédéric Chopin. A peça é considerada uma despedida do compositor de sua terra natal, uma vez que foi a última a ser escrita por ele antes que deixasse a Polônia em direção a Viena, na Áustria. O regente será Bahmann Sales.

Na última terça do mês, 27 de novembro, a sinfônica contempla artistas com atuação em Brasília, como o colombiano Lucas Jaramillo. O saxofonista Carlos Gontijo é o solista convidado e executa Árvores Lunares, para saxofone e orquestra, de Luiz Gonçalves. A regência é de Jorge Lisboa Antunes, filho do maestro Jorge Antunes.

programação de novembro de 2018 da orquestra do teatro nacional

Concertos da Saúde democratizam acesso à música erudita

Em cinco meses de apresentações por unidades da rede pública de saúde, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional manteve o compromisso de aproximar o público dos clássicos mundiais. Para novembro, estão previstos quatro espetáculos: nos dias 8, 15, 22 e 29.

O repertório incluirá música de câmara, com quartetos de corda, sopro, violoncelo, flauta.

Por onde passa, a orquestra tem sido muito bem recebida, de acordo com o maestro Cohen. “Pacientes e funcionários param para nos ouvir, participam do momento.” Até dezembro, o grupo deve completar 20 apresentações nesse formato.

Fonte: Agência Brasília

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário