Confira o que fazer se você pagou mais caro nos ônibus e metrô do DF nesta quarta

Os usuários de ônibus e metrô no Distrito Federal que pagaram passagens mais caras nesta quarta-feira (18) mesmo após a revogação do aumento das tarifas devem procurar a ouvidoria do DFTrans e do Metrô-DF para reaver cobrança indevida (confira abaixo o passo a passo).

Embora o valor nas catracas devesse ter sido atualizado a partir da meia-noite desta quarta, passageiros reclamaram que continuaram pagando a tarifa com o reajuste, conforme mostrou o G1. Os órgãos admitem os problemas e dizem que trabalham para corrigi-los.

Até as 17h de quarta-feira, o Metrô-DF informou ter recebido 55 notificações de cobranças indevidas. De acordo com a empresa, as demandas serão respondidas em até 72 horas. Até o fechamento desta matéria, o DFTrans não havia informado o balanço de irregularidades nos ônibus. Segundo a TV Globo, quando questionado sobre o erro, o cobrador afirmou que não sabia da atualização dos valores.

A revogação do aumento nas passagens entrou em vigor nesta quarta, com a publicação da decisão da Câmara Legislativa sobre o tema no Diário Oficial do DF. A mudança ocorre uma semana depois de os distritais derrubarem o decreto do governador Rodrigo Rollemberg que definiu os novos preços das passagens.

Com a revogação do reajuste, as passagens mais baratas (linhas circulares e alimentadoras) deixam de custar R$ 2,50 e voltam aos R$ 2,25. As linhas curtas passam de R$ 3,50 para R$ 3. Já as linhas longas, que atentem à maioria das cidades satélites, caem de R$ 5 para R$ 4.

Confira o passo a passo para reaver cobranças indevidas no sistema de transporte do DF

Metrô

Segundo a empresa, as cobranças indevidas ocorreram somente nos cartões múltiplos — que permitem a inserção de créditos antecipados. Quem recarregou o cartão até a meia-noite de quarta primeiramente precisa ir numa bilheteria do Metrô para o cartão ser reajustado à nova tarifa. Sem isso, cobranças a mais podem voltar a acontecer.

O passo seguinte é, no mesmo guichê ou em um token, verificar o número do cartão. Munido dessa identificação, é necessário fazer o registro do erro na ouvidoria da empresa, pela internet (www.ouv.df.gov.br) ou pelo WhatsApp (99220-0176).

A empresa tem três dias para responder sobre o ressarcimento. A devolução do valor pode ser feita em dinheiro ou por meio de créditos no cartão de transporte. Para a primeira opção, é necessário voltar à bilheteria. Para a segunda, basta aproximar o vale de um token.

Ônibus

Para usuários de ônibus que perceberam descontos errados no vale-transporte ou no cartão cidadão, é necessário fazer pessoalmente um requerimento relatando o problema em algum posto de atendimento do DFTrans. Passageiros que pagaram mais caro em dinheiro não poderão ser ressarcidos.

O órgão não deu prazo para responder a demanda. Informou apenas que depende do número de reclamações. Uma vez confirmada a cobrança errada, o DFTrans fará a devolução em créditos. Para quem tem vale-transporte, o processo é automático. Para quem usa cartão cidadão, é necessário ir a um guichê para validar o crédito.

Publicado originalmente por: G1

Foto: Rafael Nunes

Compartilhe em suas redes sociaisShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *