Com novo sistema de produção de asfalto, Novacap reduz emissão de gás

A Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) implementou mudança no sistema de produção de massa asfáltica que reduzirá a emissão de 66 mil quilos de gás liquefeito de petróleo (GLP) por ano. O número é equivalente a 5 mil botijões de consumo residencial.

Além de beneficiar o meio ambiente, o método representará economia aos cofres da empresa em cerca de R$ 250 mil por ano, de acordo com o engenheiro Maurílio Tiberi, responsável pela usina onde o material é preparado.

Colocado em funcionamento no mês passado, o processo baseia-se no isolamento térmico para que menos energia seja necessária para manter o aquecimento dos tanques de armazenamento de cimento asfáltico de petróleo.

Antes, toda a tubulação pela qual o material passava ficava descoberta, o que ocasionava redução de temperatura durante o caminho. Para não haver custos adicionais, foi utilizado na cobertura da tubulação um material que a usina já possui, a areia rosa saibrosa.

Ela atua como isolante e evita que a temperatura se dissipe, mantendo-a estável e contida durante todo o percurso pelos canos até o ponto de utilização, o que representa uma queda significativa no consumo de combustível para manter o equipamento funcionando.

O engenheiro conta que foram dois anos estudando o maquinário e as temperaturas para definir o que poderia ser feito para reduzir custos e desperdícios. “Na produção de asfalto, é normal o consumo de 7 a 8 quilos de gás por tonelada, mas estamos fazendo economia onde podemos fazer”, reforça.

Outro benefício do isolamento, segundo Tiberi, será percebido no período chuvoso. Com os canos descobertos, a água da chuva resfriava ainda mais a tubulação, inviabilizando o processo. Eram necessárias duas horas após a estiagem para religar as máquinas. “A gente não vai ter que esperar mais. Agora, vai ser imediato.”

Usina da Novacap produz até 120 toneladas de massa asfáltica por hora
Para implementar o novo método, o trabalho da usina, que tem capacidade para produzir até 120 toneladas de massa asfáltica por hora, não parou.

A Novacap atende por meio de pedidos feitos pelas administrações regionais, pelo Departamento de Estradas de Rodagens (DER) e pelo Exército, além de cronograma próprio.

Desde janeiro deste ano, Taguatinga foi a região que mais recebeu massa asfáltica — 620 toneladas. Vicente Pires foi a segunda, com 329 toneladas, seguida do Gama, com 231.

Fonte: Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *