Caesb reduz perdas de água no sistema de abastecimento

Graças a investimentos em estratégias de combate aos vazamentos e ligações clandestinas, a Companhia de Saneamento Ambiental de Brasília (Caesb)conseguiu, pela primeira vez nos últimos quatro anos, reduzir o desperdício de água no sistema de abastecimento.

O índice de perda, que na média de doze meses era de 391 litros por ramal/dia, em janeiro de 2015, caiu para 370 litros em abril deste ano. Os esforços continuam para baixar a média para 250 litros por unidade.

O cálculo é feito com base na média de consumo dos últimos doze meses. Cada ramal corresponde a uma ligação de imóvel, seja uma casa, uma empresa ou um grande prédio de apartamentos.

Os dados levantados pela Caesb mostram que, pela média móvel dos últimos três meses, esse indicador aponta uma redução ainda maior, passando de 410 litros em janeiro de 2015 para 307 litros por ligação/dia em abril de 2017.

Segundo o presidente da companhia, Maurício Luduvice, esses dados apontam uma diminuição consistente nos índices de perdas do sistema de abastecimento de água.

Ao final da implantação de todas as estratégias do Programa de Controle e Redução de Perdas, prevista para o segundo semestre de 2019, a Caesb espera atingir a meta de 250 litros diários por ligações pressurizadas.

A empresa pública atribui essa redução aos investimentos feitos com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de R$ 170 milhões. O projeto prevê substituição de hidrômetros e de redes de água, além da instalação de válvulas redutoras de pressão.

Para alcançar a redução, a Caesb desenvolveu estratégias de combate às perdas reais, causadas por vazamentos, e às aparentes – aquelas que resultam de consumo não faturado, por submedição do hidrômetro, por exemplo, mas também de ligações clandestinas e furto.

Na redução das perdas reais a companhia está investindo na setorização da distribuição, na substituição de redes muito antigas e no controle ativo de vazamentos.

Também implanta moderno sistema de telemetria com controle remoto de válvulas redutoras de pressão e promove a melhorias no cadastro técnico da rede de distribuição por meio de georreferenciamento.

Combate às ligações clandestinas

Para o controle e redução das perdas aparentes, a empresa substitui hidrômetros antigos — 137 mil já trocados até agora — e moderniza os Laboratórios de Micromedição e de Macromedição.

Além dessas ações, a Caesb, segundo Luduvice, atua fortemente no combate às ligações clandestinas nas áreas urbanas. Para tanto, emprega 27 equipes de campo e um consistente processo de análise e inteligência para a identificação dessas ligações.

Em 2017, a estatal já retirou aproximadamente 1 mil ligações clandestinas de água no DF, 520 a mais que no mesmo período do ano anterior. Essa ação resultou em mais de 200 ocorrências policias. Estima-se que sejam desviados cerca de 680 milhões de litros com essa prática.

Fonte: Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *